1984 | George Orwell - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
novembro 28, 2013 Falando de Resenhas

1984 | George Orwell


1984

Título: 1984
Autor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Skoob: Adicione!
Compre o livro: CULTURA | SARAIVA | SUBMARINO
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

“1984” não é apenas mais um livro sobre política, mas uma metáfora do mundo que estamos inexoravelmente construindo. Invasão de privacidade, avanços tecnológicos que propiciam o controle total dos indivíduos, destruição ou manipulação da memória histórica dos povos e guerras para assegurar a paz já fazem parte da realidade. Se essa realidade caminhar para o cenário antevisto em 1984 , o indivíduo não terá qualquer defesa. Aí reside a importância de se ler Orwell, porque seus escritos são capazes de alertar as gerações presentes e futuras do perigo que correm e de mobilizá-las pela humanização do mundo.

Wiston Smith está mudando. Ele vive num mundo em que não se sabe como era o passado, como era a verdadeira história do mundo que vive. Não é um mundo apenas com informações mentirosas, mas um lugar em que até as informações inventadas não fazem diferença porque o que eram produzido eram apenas histórias/mentiras para justificar os acontecimentos e deixar o Partido mais bem visto. Isso ocorria com tanta frequência que era difícil precisar em que ano estavam e se as guerras que ocorriam eram verdadeiras. Todos vivem sós de uma maneira ou de outra e são, de uma forma quase imperceptível, induzidos a isso.

E se todos os outros aceitassem a mentira imposta pelo Partido – se todos os registros contassem a mesma história -, a mentira tonava-se história e virava verdade. “Quem controla o passado controla o futuro; quem controla o presente controla o passado”, rezava o lema do Partido.

Li este livro três vezes para poder fazer esta resenha. Não, o livro não é complexo, não é grande, não é chato… Eu simplesmente queria ficar ainda mais imersa na história que Orwell criara. Não é um universo nem um pouco bonito, muito menos colorido. A sensação que tive, em todas as vezes que li, era que o pano de fundo da trama era um lugar preto e branco, feio, onde até as pessoas eram feias, com moradias feias e – por que não? – lembranças praticamente inexiste.

O simples fato de pensar contra o Partido e o Grande Irmão pode ser considerado um pensamento-crime. A prática do ódio, mais especificamente os Dois Minutos de Ódio, contra o atual inimigo na guerra e Goldstein e sua Confraria, um grupo clandestino de conspiradores que queriam derrubar o Partido, era contagiante. Mesmo que você não percebesse que estava participando, você era atraído para junto da massa e o objeto de ódio não importava, você era contagiado sem nem perceber. O sexo não era livre, as pessoas casavam-se por conveniência para o Partido, sem existir desejo, apenas para procriar. O Partido também criou uma nova língua, a Novafala, que tem uma objetivo surreal e incrível ao mesmo tempo: ter menos palavras, palavras que tenham duplo significado, justamente para que a pessoa pense menos… E pensando menos, até mesmo em relação à fala, o ser humano tem menos probabilidade em tentar rebelar-se.

Você não vê que a verdadeira finalidade da Novafala é estreitar o âmbito do pensamento? No fim teremos tornado o pensamento-crime literalmente impossível, já que não haverá palavras para expressá-lo.

Eu poderia enumerar uma infinidade de motivos porque amei este livro, mas vou me ater à apenas quatro: 1- George Orwell é um gênio incrível. Ele não criou apenas um livro distópico, ele se baseou na realidade vivida por ele, aquilo que ele pensava e, sinceramente, não é diferente daquilo que vivemos hoje. 1984 é atemporal, pode ser tanto uma referência ao passado quanto ao presente, e sem dúvidas estará ligado ao futuro; 2- O autor trata de temas pertinentes como saúde, do corpo e da mente, a língua utilizada, que tenta evitar o pensamento, o sexo, como algo para distrair o povo, e o principal, a educação, onde o próprio Partido via como algo preocupante caso os proletas recebessem uma educação melhor; 3- Orwell consegue trazer medo e terror para o leitor através de suas palavras: é fácil imaginar num mundo opressor, onde você não pode pensar no que quiser, chegando a tornar a leitura aterrorizante; 4- E por último, mas não menos importante, ao ler 1984 o leitor torna-se um verdadeiro crítico, não apenas do livro, mas do espaço em que vive.

Se é que há esperança, escreveu Winston, a esperança está nos proletas.

A partir do momento em que Winston compra um caderno e coloca alguns pensamentos seus escritos, registrados, ele começa a mudar. Seu pensamento, sua visão de mundo é outra e é desta conscientização que surge no protagonista e sua busca por aquilo que ele acredita, a sua individualidade, é que constituem o enredo deste livro. Winston chega a ser inadequado e completamente diferente da própria realidade que vive e ele acaba se tornando próximo, senão idêntico, ao leitor.

Leia 1984 e conheça uma distopia incrível e ao mesmo tempo assustadora por ser tão próxima da realidade em que vivemos.



Deixe o seu comentário

5 Respostas para "1984 | George Orwell"

Clara - 29 novembro 2013 às 14:08

Com certeza, esse é um dos livros que eu não posso morrer sem ler antes. Parece ser bastante interessante e envolvente.

@mmundodetinta
maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

Responder

Thaysa Rocha - 29 novembro 2013 às 22:22

Oi Querida, tudo bem?
Vim conhecer seu blog e adorei.

Fiquei impressionada com a quantidade de vezes que você leu esse livro, geralmente não pego livros para reler. rs

Nunca li 1984, mas quero muito!!

Beijos,
http://www.livrosqueinspiram.blogspot.com.br

Responder

Raquel Moritz - 02 dezembro 2013 às 11:28

SENHORITA, como eu bem falei nas redes sociais e via Skype, sua resenha de 1984 ficou eeeeeeeeeexcelente. É um baita clássico pra ler e reler (e reler e reler, como você fez hehehe) e tentar comparar as situações com o que vivemos. Em menor ou maior escala, estamos sendo sempre vigiados. De diferentes formas, por diferentes pessoas.

Baita livro mesmo ♥

Beijo!

Responder


Thaís Lemos Cavalcante
dezembro 3rd, 2013 em 8:13
respondeu:

@Raquel Moritz, <3

Responder

A Revolução dos Bichos por George Orwell - Pronome Interrogativo • Blog e Canal • - 25 fevereiro 2016 às 11:02

[…] mais ou menos, dois anos, li 1984 e me apaixonei pela forma que a história é contada e como Orwell conseguiu criar uma história […]

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por