Amor ou ódio: Machado de Assis - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
outubro 17, 2011 Falando de Sem categoria

Amor ou ódio: Machado de Assis


Bom, resolvi fazer este post porque ultimamente tenho visto muitas pessoas dizendo que não gostam de literatura clássica brasileira e eu, como uma boa estudante de literatura, defendo o bom e velho clássico. Sim, eu amo as novas publicações, alguns vieram para revolucionar! Digo isso com toda certeza, tanto em nossa literatura brasileira, como André Vianco; como na literatura americana, tal qual Suzanne Collins, Cassandra Clare, dentre muitos outros.
Muita gente torce o nariz quando ouve o nome ‘Machado de Assis’. Alguns dizem que não gostam e nem tentaram ler nenhuma de suas obras, outros dizem que ama apenas para sentir-se mais ‘cult’. E eu sei bem o que é ODIAR Machado! Em um passado, não muito distante, quando tinha por volta dos 12 anos, minha professora de português da época pediu que fizéssemos um resumo da obra ‘Dom Casmurro’ e convenhamos, é difícil para uma criança de 12 anos, que não conhece nada da vida, perceber a verdadeira essência que Machado gostaria de passar nesta obra, onde havia possíveis traições, tringulos amorosos, toda a dúvida que o escritor transpassa em sua obra, além de muitos outros acontecimentos sociais, os quais vemos até hoje.
Machado foi um escritor que criou seus textos entre o ano de 1854 e sua última publicação foi em 1908, findando sua vida e publicações com Memorial de Aires. Mas não pense que nosso querido Machadão escreveu para os intelectuais da época não, ele não tinha nem o objetivo de ‘falar difícil’. Na verdade, ele escrevi para o povão, que naquela época utilizava uma linguagem bem diferente da nossa atualmente. Este incrível escritor preocupava-se muito com seus leitores, posso até afirmar que a informação para ele era primordial e marcada também por humor bem sutil, o que fazia parte de seu jeito carioca de ser.
E se você realmente quer curtir ou ao menos tentar conhecer Machado de Assis começando por uma leitura bem light e curiosa, aconselho a começar por Memórias Póstumas de Brás Cubas. O livro marca um novo estilo na obra de Machado e não foi à toa considerada a obra que iniciou o Realismo no Brasil, mas isso já é outro assunto.
Este livro trata-se de um “defunto-autor”, é isso mesmo, o cara já morreu e quer escrever sua autobiografia! É narrado em primeira pessoa e é desta forma que Brás Cubas nos mostra a sociedade carioca do século XIX. E uma coisa bastante interessante que Machado consegue trazer à tona neste livro são as problemáticas da nossa sociedade, que por incrível que pareça, existem até hoje. Ele nos mostra de uma forma irônica como nosso país foi formado e suas contradições.

Este último capítulo é todo de negativas. Não alcancei a celebridade do emplasto, não fui ministro, não fui califa, não conheci o casamento. Verdade é que, ao lado dessas faltas, coube-me a boa fortuna de não comprar o pão com o suor do meu rosto. Mais; não padeci a morte de D. Plácida, nem a semidemência do Quincas Borba. Somadas umas coisas e outras, qualquer pessoa imaginará que não houve míngua nem sobra, e conseguintemente que saí quite com a vida. E imaginará mal; porque ao chegar a este outro lado do mistério, achei-me com um pequeno saldo, que é a derradeira negativa deste capítulo de negativas: — Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria.

Muitas pessoas que já leram ou algum dia vai ler alguma de suas obras, com certeza vão continuar não gostando, muita gente não consegue, de maneira alguma, engolir Machado. Mas cada um com seu gosto, não é mesmo? Por outro lado, há o quesito idade, como havia dito no começo e como afirma Antonio Carlos Viana: dar Machado de Assis para um menino de 15 anos é querer que ele não goste de literatura, nunca mais.
Para quem nunca leu, ao menos tente, acho válido! (:


Deixe o seu comentário

28 Respostas para "Amor ou ódio: Machado de Assis"

Danzinha - 17 outubro 2011 às 11:08

Sou apaixonada pelas obras que li do Machado. Ele é um cara incrível. Acho que a minha preferida até agora é Helena. Ainda não li memórias póstumas, embora tenha muita curiosidade nesta obra. Adorei o post.

Beijos

Amigas entre livros

Responder

gabi - 17 outubro 2011 às 12:44

Eu nunca li Machado de Assis, mas vou acabar lendo ano que vem pro vestibular… Dai eu vejo o que acho.

Gabi

Responder

Lucas Martins - 17 outubro 2011 às 13:43

Aiii, super criativo adorei o tema! É verdade, é uma relação meio de amor e ódio. Alguns tem o receio de ler Machado de Assis, José de Alencar e etc, pelo fato da linguagem ser mais “complicada”. Eu mesmo tenho um pouco de receio…
Mas adorei a post, parabéns!
Bjão!

Responder

Julia G - 17 outubro 2011 às 14:23

Thais, sou uma qe começou a ler clássicos só depois dos 18 anos. E, nessa época, comecei por curiosidade, não por obrigação, e o óbvio: me apaixonei. Admito que ainda não li Sr. Machado, mas admiro suas obras e com certeza quero ler, só não tinha oportunidade antes.
O pior, para mim, são as pessoas que criticam mas só tomam por base aquilo que pensaram quando pegaram as obras aos 12 anos, como você citou. Ou quem nunca soube nada sobre isso. Um conhecido meu, outro dia, pegou um trecho de uma matéria sobre Machado de Assis, distorceu o que dizia, e ainda afirmou: “típico de novela: mocinho + donzela + final feliz”. Ignorância! Acho que é preciso conhecer, ao menos, para criticar.

Beijos

Responder

Vanessa - 17 outubro 2011 às 17:04

Eu já li coisas clássicas, por conta da escola q UAHSUAS Eu não gosto muito não, sério. Sei que tem livros ótimos, claro, mas não é meu gênero. Já tentei, mas não dá :S Mas Machado escreveu coisas bacanas, eu li Memórias Póstumas de Brás Cubas e gostei, mesmo não sendo meu gênero UASHAUSHAUHSUA Bom post, tem que defender mesmo (:

Beijos, Vanessa.
This Adorable Thing

Responder

Michelle - 17 outubro 2011 às 17:45

Olá!
É a primeira vez que visito seu blog e, de cara, uma polêmica. Acho que, no seu texto, você matou a charada: o problema não são as obras clássicas e sim a forma como nos são apresentadas – empurradas goela abaixo como uma obrigação num momento da vida em que não temos vivência suficiente para entendê-las. Eu também já odiei alguns clássicos, mas, ao relê-los, pude enxergar e compreender coisas que passaram despercebidas da primeira vez. Penso que os clássicos devem ter uma segunda chance.
bjo

Responder

Mariana Ribeiro - 17 outubro 2011 às 17:50

Olá, Thaís!
Já li Dom Casmurro, entre outros livros do Machado e o tenho como referência em tudo o que faço como escritora. Não acho certo as pessoas julgarem suas obras, sem nem sequer ter lido alguma e realmente as escolas deveriam recomendar a leitura desses livros que sã clássicos da nossa Literatura.
Ótimo post!
Bjos.

Mariana Ribeiro
Confissões Literárias.

Responder

αmαndα cristinα ツ - 17 outubro 2011 às 21:25

Li Dom Casmurro e gostei bastante! Um amor jovem que leva à traições, triângulos amorosos… Mas em si, o amor.
Fernando e Fernanda e A Cartomante, dois contos que li em sala de aula também são bem legais. O único que não achei muito “fácil de ler” foi O Alienista. Li um exemplar antigo e, por isso, havia milhares de notas no rodapé, o que dificultava a leitura. Portanto não o achei chato, pelo contrário… Super interessante! 🙂
Gostei muito do post! Legal ter abordado isso… Conheço pessoas que se dizem ser leitores vorazes, mas nunca experimentaram um livro de Machado!

Beijinhos,
http://www.primeiro-livro.com

Responder

Thais Marques - 17 outubro 2011 às 21:43

Eu já li e adoro.
Xará adorei o blog e estou seguindo.
http://meninasevaidosas.blogspot.com/
Bjs

Responder

Banner Grátis - 17 outubro 2011 às 21:46

Olá! Parabéns pelo Blog! Gostei! Estou seguindo! Sucesso no novo Blog! Visita o meu! http://www.meubannergratis.com Dicas, banners GRÁTIS, menus GRÁTIS e muita coisa sobre Blogs! Aceito troca de Link ou Banner! Espero sua nobre visita! Forte abraço e sucesso mais uma vez!

Responder

Thalita Oliveira - 17 outubro 2011 às 22:13

Comecei a ler Machado agora, estou lendo Dom Casmurro e confeso que estou enrolando bastante para terminar de ler T_T , a história é boa, mas sl não está me predendo T_T , depois do que você disse vou tentar mais uma vez e espero que agora vá … rsrs’.

~ Seguindo õ/ ~

Bjim,

Cantinho de uma garota

Responder

Marco Antonio - 17 outubro 2011 às 22:22

Olá minha cara.

Voce foi muito feliz na sua resenha; pois gosto demais de literatua clássica, muitos podem se perdem, acham chato com muitos detalhes, mas eu gosto e acho que antes de ler qualquer livro deve ler alguma da literatura clássica e concordo com que disse no final do post.

Parabéns!!!

Abçs.

http://devoradordeletras.blogspot.com/

Responder

Effy - 18 outubro 2011 às 01:16

Acho que devemos conhecer todo tipo de leitura. Aos 15 eu lia muita literatura, Machado,José de Alencar e outros..E quando comecei a ler as obras para o vest, já estava acostumada. Mas quem está acostumado com enredos e narrativas de hoje em dia, pode estranhar um pouco, da mesma forma se ler Shakespeare rs. Enfim, eu gosto..

Beijos

Responder

Beatriz Gosmin - 18 outubro 2011 às 10:00

Super legal o post!

Devo assumir que há apenas um tempinho atrás eu torcia o nariz para clássicos.

Mas, comecei a ler contos do Machado de Assis e confesso que gostei.

Vou me esforçar para ler mais os clássicos também, porque além de serem ótimos, vão me dar um help quando chegar a hora do vestibular!

Beijos
Bia | http://www.LivroseAtitudes.blogspot.com

Responder

Jéssica Rodrigues - 18 outubro 2011 às 10:07

Adoro algumas obras dele, pena que ultimamente não tenha mais lido ;/

http://byjessicarodrigues.blogspot.com

Responder

Lucas Justino. - 18 outubro 2011 às 11:08

Este comentário foi removido pelo autor.

Responder

Lucas Justino. - 18 outubro 2011 às 11:09

Machado de Assis sempre esteve na minha lista de autores favoritos,isso começou logo depois que eu li Dom Casmurro,fiz a leitura para uma avaliação na escola.Acho legal a forma com que ele escreve,mantendo uma contato com o leitor,é muito legal.

Lucas Justino

http://resumindolivros-13.blogspot.com/

Responder

PamFardin - 18 outubro 2011 às 13:18

Confesso que comecei ler Dom Casmurro mais não consegui continuar, acho que vai ser melhor no futuro, vai ser mais fácil de entender. Mesmo assim, já vários contos dele, e sim, ele é um ótimo autor, digno de ícone da literatura brasileira, como já é 😀

Beijão!
aritmeticadasletras.blogspot.com

Responder

Robledo Filho - 18 outubro 2011 às 13:26

Que surpresa encontrar alguém disposto a enaltecer as qualidades dos clássicos! Essa blogosfera é tão apinhada de páginas dedicadas unicamente às novidades do chick-lit e do YA que eu fico bastante feliz quando encontro alguém que consegue perceber o valor da nossa verdadeira literatura. E Machado, é lógico, dispensa comentários: sem lançar mão de um vocabulário hermético, o autor faz toda uma análise da sociedade e das relações entre os homens. Sua obra é perene. Acho uma pena que muitas pessoas sejam forçadas, como você foi, ao ler Dom Casmurro aos 12 anos: a literatura brasileira exige certa maturidade, e um contato prematuro com essas obras pode causar uma repulsa quase crônica. Conheço pessoas que, por terem sido obrigadas a entenderem Quincas Borba antes mesmo do ensino médio, nunca mais encostaram em uma publicação machadiana… Triste.

Um beijo e parabéns pela iniciativa,
Robledo – Livros, letras e metas

Responder

May L. - 18 outubro 2011 às 14:26

Oi Thaís!
Obrigada pela visita no meu blog.
Concordo com tudo o que você disse nesse post, os clássicos deveriam ser mais valorizados, eu não me interessava muito com eles, mais depois que li Senhora, a bruxa, que é uma espécie de paródia de Senhora do José de Alencar, me interessei mais em descobrir esse mundo dos clássicos, tanto que comprei o livro Senhora para comparar com a paródia.

Ah, Cidade dos Ossos, terminei de ler ontem e simplesmente amei. Mas o final foi um pouco pertubador para mim. Mas mereceu as 5 estrelinhas que eu dei no skoob.
Já postei a resenha lá no blog.
Se quiser dar uma olhada:
http://glowofthemoonlight.blogspot.com

Beijos e também já estou te seguindo e quero ficar por dentro das novidades do seu blog!

Responder

May L. - 18 outubro 2011 às 14:29

Ou melhor, estou te seguindo mas não está aparecendo a minha foto nos seguidores, que estranho.
Mas já está na minha lista de leitura

Responder

Ni - 18 outubro 2011 às 16:24

Foi exatamente o que fizeram: me deram Memórias Póstumas e eu, com meus atuais 15 aninhos, não gostei nada. Em seis páginas já havia dormido – e olha que sou uma leitora compulsiva. Porém, não desisti dele: ele é tão reconhecido por algum motivo, certo? E “Dom Casmurro” será minha próxima leitura – pretendo participar de um debate sobre o livro que haverá no colégio (participação livre, yeah). Enfim, adorei o post, isso aí ^^

Responder

Eduarda Menezes - 19 outubro 2011 às 00:18

Oi Thais,

Também sou totalmente contra esse hábito de alguns professores recomendarem livros mais adultos para meninos e meninas de apenas 12, 13 anos! É querer que eles nunca mais peguem gosto mesmo!

Tenho até vergonha em admitir que nunca li nada do Machado, então não posso dizer se realmente gosto ou não da escrita do autor! Mas pelo que todo mundo fala imagino que irei gostar e pretendo mudar esse quadro em breve ^^

Adorei a dica! Acabo sempre deixando esses pra depois! A listinha está muito grande mas o autores brasileiros com certeza devem ser valorizados!

beijos!

Responder

danamartins - 19 outubro 2011 às 03:28

“dar Machado de Assis para um menino de 15 anos é querer que ele não goste de literatura, nunca mais”
acho que aí tá o motivo pra muita gente não gosta de ler ou dizer que não gosta de literatura brasileira. Machado de Assis pode ser muito bom, mas nem todo mundo pode ver (precisa de certa base).
além de obrigar alguém que não entende a ler acaba que a literatura brasileira vira um bando de trechos da história com características a serem decoradas e não algo que você pode aproveitar como… bem, como a própria Suzanne Collins que você citou.
só não sei como quem decide o que as pessoas tem que estudar não percebe isso. se é que alguém decide e se é que esse alguém percebe alguma coisa ;x

Responder

Juhh Née! - 19 outubro 2011 às 09:27

Eu adorei o post, e você já ganhou um novo seguidor por aqui hehe.
Parabéns pelo blog eu amei, e vou continuar vendo as novidades do blog também.

Beijos, Juliana.
http://bloggirlpop.blogspot.com/

Responder

Bruno M - 19 outubro 2011 às 19:45

Apoio totalmente, não podemos querer que adolescentes que falam “tava” e “seje” leiam Machado de Assis. Tipo, eles mal sabem ler a data, o máximo que eles poderiam ler é Harry Potter – o que já é ótimo, vendo que bilhões de pessoas começaram a ser leitores assíduos pelo Harry Potter.

Falando de Midnighters: Eu comprei na feira do livro da minha cidade, e no primeiro dia da feira o tempo estava ruim e choveu, e o livro molhou um pouco. Então de 60 foi para 10. Melhor que isso impossível! E ele nem ficou ruim, só as páginas que ficaram meio duras, foi uma grande sorte! É em terceira pessoas, mas os capítulos são meio intercalados, dá para se aprofundar em todos os personagens.

Já estou seguindo!

Responder

Aline Gasparini - 20 outubro 2011 às 14:19

Com muito vergonha tenho que confessar que até hoje ainda não li nada do Machado de Assis. Não porque necessariamente odeio o autor, ao contrario estou começando a estudar as obras dele nas aulas de literatura e estou gostando bastante. Dom Casmurro foi a obra que mais chamou a minha atenção, tenho certeza que muito em breve vou lê-lo. Enfim, adorei o seu post, ficou ótimo 😀

Beijos&beijos
Book is life

Responder

Camila Leite - 25 novembro 2011 às 10:42

Acho que muita gente torce o nariz para Literatura ‘Clássica’ Brasileira, sem ao menos conhecê-la, isso é um erro!
Eu comecei a ler Memórias póstumas de Brás Cubas, ano passado e odiei, porque o início do livro é difícil e pesado, com uma linguagem rebuscada demais, para minha oca cabeça de quem tinha 16 anos e pensava em ir para balada! rs Enfim. Um ano mais velha (Oh! GRANDE COISA!) Deparei-me com um texto retirado do livro, em uma aula de português e confesso que amei, e que minha vontade de voltar ao livro é muito grande.
Acho que nunca devemos julgar algo sem conhecer totalmente, e Dom Casmurro, foi o feitiço mais poderoso que Machado lançou sobre nós, ‘meros mortais’
Beijos, Caah x♥

@sonhospontinhos
http://www.sonhosentrepontinhos.com

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por