Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
julho 14, 2014 Falando de Resenhas

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo


Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo

Título: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Editora: Cia. das Letras (Selo Seguinte)
Skoob: Adicione!
Compre o livro: CULTURA | SARAIVA | AMAZON
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas – e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

Descobrir os segredos do Universo pode parecer a coisa mais difícil do mundo, mas quando pensamos em nosso próprio Universo, não parece ser tão absurdo assim. Aristóteles e Dante querem descobrir estes segredos, mas o que eles não sabem é que cada pessoa é um pequeno grande Universo.

Ari tem 15 anos e está entrando numa nova fase de sua vida. Ele nunca teve amigos de verdade e nunca soube se comunicar muito bem com sua família. Não que ele não quisesse, ele queria e muito conversar com os pais, mas cada um trazia dentro de si alguma marca. O pai de Ari viveu na guerra do Vietnã e não exteriorizava e muito menos dividia tudo aquilo que viveu, preferia travar sua própria guerra dia após dia. A mãe de Ari, apesar de sempre fazê-los falar, também levava seu peso. Ari não era filho único, tinha duas irmãs mais velhas e um irmão que nunca era citado, não possuía fotos na casa e parecia que havia morrido invés de preso.

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo

Aristóteles não gostava da forma que os outros rapazes agiam e o mundo deles, para ele, era difícil de aceitar, entender e lidar. Mas esse pensamento muda no dia que ele encontra Dante na piscina, oferecendo-se para ajudá-lo a aprender a nadar. Ari finalmente conhece alguém com quem possa se relacionar e que age e tem pensamentos como o dele.

Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá.

Em Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, como disse no início, temos dois Universos: Aristóteles, um rapaz que não sabe expor seus sentimentos e quando sente algo, tudo o que consegue identificar é raiva e pensamentos negativos, principalmente quando é sobre ele mesmo. Ari não se vê como uma boa pessoa, não entende que pode ser bom em alguma coisa e está em constante cobrança, apesar de não perceber. Do outro lado, temos Dante, um rapaz que também está descobrindo o próprio mundo, não sabe lidar com alguns dilemas que surgem, mas ainda assim é positivo, está sempre alegre, se expressa de uma maneira toda sua e se precisar chorar, ele vai chorar. A Raquel, do Pipoca Musical, em sua resenha, disse algo que me deixou muito pensativa quando terminei de ler o livro… Aristóteles e Dante não são nada parecidos, mas de alguma forma, eles se completam.

Esse não é um livro que conta sobre a importância da amizade, mas é um livro que mostra como cada jornada pode ser diferente e que tudo, ou uma boa parte, depende da forma com que você lida com seus próprios demônios.

– Um dia vou desvendar todos os segredos do Universo.
Achei graça.
– E o que você vai fazer com esses segredos, Dante?
– Saberei quando chegar a hora – respondeu. – Talvez mudar o mundo.

A escrita de Benjamin e tudo o que ele adiciona na história torna tudo ainda mais mágico. As famílias dos dois meninos têm papéis importantíssimos e, apesar das diferenças, fazem parte das mudanças que ocorrem na transição da vida adolescente para a vida adulta. A história se passa em 1987, o que torna tudo mais mágico – vinil, cartas etc – e talvez perigoso, principalmente se citarmos as drogas em El Paso, mas se o autor tivesse escrito a mesma história hoje, acredito que nada precisaria ser mudado, os dilemas da adolescência muitas vezes são e serão os mesmos. O autor também soube usar os pensamentos de Ari de uma forma singular, criando frases que podemos guardar para vida toda. Apenas senti falta de ouvir Dante, já que o livro é narrado por Ari, para entendê-lo e descobrir quais são seus reais pensamentos, mas isso não interferiu na história.

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo tem uma história agradável, que te faz perceber que estamos em constante mudança e quando abrimos nossos corações, os segredos do Universo são gradativamente descobertos. Nesse livro também vemos que, independente do tipo de relacionamento que exista entre pais e filhos, o amor vai ser sempre incondicional.



Deixe o seu comentário

9 Respostas para "Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo"

Raquel Moritz - 14 julho 2014 às 12:05

Acho que esse livro tem um ar atemporal. Só vou saber disso mesmo se tentar reler ele daqui um tempo, mas parece que os dilemas, como vc falou, são de qualquer época. É inerente ao ser humano, independente do caminho que ele tome.

Fico feliz que tenhas gostado da jornada. 🙂
E, sim, a gente vê como duas peças tão diferentes se encaixam. ♥

Beijoca ♥

Responder

Isabela Vicentin - 20 julho 2014 às 18:57

Oi Thaís! :3
Confesso que quando bati o olho nesse livro em um desses Book Haul da vida eu já me afastei dele rapidinho, pensando que algo que tivesse “Aristóteles” e “Dante” e “universo” no mesmo título não poderia me agradar de jeito nenhum. Sua resenha foi a primeira que eu me aventurei a ler, e agora estou doida pra ler esse livro! Me pareceu algo tão… Delicado, tão sutil e tão diferente ao mesmo tempo que me cativou muito, e acabei me identificando com o pouquinho que você falou sobre Ari e Dante.

Beeijos <3

Responder

Anna Schermak - 21 julho 2014 às 15:50

Esse livro foi o melhor do ano para mim! Sem sombras de dúvidas. Eu sou tão Ari que me assustei enquanto passava as páginas. Eu sempre entendo e vejo as pessoas de uma maneira diferente e isso sempre assustou todo mundo.

Esse quote que você selecionou “Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá.” é tão minha vida ♥

Fico feli que você também tenha gostado dele!
Beijos!

Responder

Ilana Rafaely - 21 julho 2014 às 16:27

Eu não curto muito livros que se passa em outras épocas, sei lá, tenho um certo preconceito, mas, vou tentar ler esse livro, vai que eu me surpreenda com ele ? Gostei da sinopse/resenha e me identifico muito com o Ari, eu sou MUITO fechada… Amei a frase da Raquel e ela se aplica, e muito, na minha vida !!!

Responder

Larissa Ferreira - 21 julho 2014 às 16:46

Gostei da resenha, me identifiquei com o Aristóteles e acho que se eu conhecesse alguém como Dante eu não saberia como agir, então imagino que deve ter acontecido grandes mudanças na vida dele. O que eu mais gostei é que se passa em 1987 🙂
beijos

Responder

Isabela - 23 julho 2014 às 13:28

Sem dúvida um dos livros mais surpreendentes que li esse ano! Acho que veio na hora EXATA pra mim 🙂

Responder

Bianca Aguiar - 23 julho 2014 às 18:39

A capa desse livro foi a primeira coisa que me chamou atenção! Achei tão linda <3 Conheci a história através da sua resenha e adorei! Parece ser aquele tipo de história que nos faz refletir por um tempo. Adoro histórias que mostram o valor de uma amizade! Espero ler logo esse livro para conhecer Aristóteles e Dante, além é claro, de saber como ambos vão descobrir os segredos do universo 😀

Responder

♥♪Jan Araújo♪♥ (@jan_araujo7) - 23 julho 2014 às 22:28

Achei uma jogada de mestre o nome dos protagonistas e confesso que pelo título eu havia pensado que a história se tratava de outra coisa, algo enfadonho e desinteressante, mas a resenha foi muito esclarecedora, adoro livros assim, em que os personagens se ajudam, se completam e crescem ao longo da narrativa, é um livro que despertou mina curiosidade…

@jan_araujo7

Responder

Carol Miranda - 31 agosto 2014 às 15:20

Esse livro tem tudo para ser bom. O tipo dá uma ar bastante temporal, e a capa é linda, com certeza ele fará parte da minha lista depois de ver seus comentários.
Adorei seu blog e já estou seguindo, dá uma passadinha lá no meu: http://unhasblz.blogspot.com
Beijos de Glitter

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por