Novo Conceito Archives - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
novembro 28, 2012 Falando de Novo Conceito // Quote da Semana // Trecho da Semana

Quote da Semana


..

Não sei quanto tempo se passou até que me acalmasse, mas, por todo o tempo em que fiquei sozinha, chorei. E tanto que no dia seguinte meus olhos ainda estavam inchados. Da minha mãe, não tive nenhuma palavra de compreensão. Em momento algum ela se pôs no meu lugar. Cedo percebi que nunca e nada faziam ela voltar atrás. Qualquer história sempre terminaria com o ponto final dela.E foi assim, entre tantos desencontros, que descobri que existiam duas Marianas: a filha da minha mãe e eu.
Página 29

Acredito que Mariana, nossa personagem principal em “A Filha da Minha Mãe e Eu”, é o retrato da maioria dos jovens: não compreendem o motivo dos pais agirem de uma determinada forma e que, aos poucos, com o passar dos anos, vão compreendendo muitas das atitudes que eles tomam.

Esse livro é um presente que daria para qualquer adolescente com seus 12, 14 anos. É uma leitura para entender que nem tudo na vida dos pais são flores e que as experiências do passado podem interferir na forma que criam seus filhos.

novembro 08, 2012 Falando de Editora Novo Conceito // Novo Conceito // Resenha

Resenha: Garotas de Vidro | Laurie Halse


Título: Garotas de Vidro – A verdade nem sempre é o que enxergamosAutor: Laurie Halse AndersonEditora: Novo ConceitoSkoob: Adicione!Compre o livro: Clique aquiClassificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda. Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos.

“Garotas de Vidro” é uma leitura surpreendentemente doentia. É difícil não se sentir tocado ao ler e não se comover, de diversas maneiras (raiva, tristeza, pena…), com a história que Laurie Halse nos mostra. É incrível, medonho e bizarro o quanto uma pessoa doente, que não aceita seu próprio corpo pode fazer consigo.

Conhecemos Lia, uma menina de apenas 18 anos que tem anorexia, já havia sido internada duas vezes por causa de seus “maus hábitos” e ainda enfrenta sérios problemas por causa do pacto que havia feito com sua melhor amiga Cassie nas férias de Natal do oitavo ano: ser a mais magra do colégio. Mas a última vez que se falaram foi há seis meses, seis meses antes de Cassie ser encontrada morta em um quarto de motel sozinha… e antes de morrer, ela ligou 33 vezes para Lia.

Meu nome é Lia. Minha mãe é a Chloe, meu pai é o David. E minha irmã, a Emma. E tem a Jennifer.Minha mãe consegue colocar as mãos dentro do peito aberto de estranhos e consertar seus corações quebrados, mas não sabe de que tipo de música eu gosto. Meu pai acha que tenho 11 anos. A mulher dele cumpre suas promessas. Ela me trouxe uma irmã que está me esperando para voltar para casa e brincar. Meu nome é Lia.

No começo da resenha disse que a leitura é surpreendentemente doentia, digo isso porque a autora soube construir e caracterizar a doença de Lia de uma maneira muito real. Isso foi possível através de suas pesquisas sobre o tema e entrevistas com especialistas e pessoas que tiveram este problema. Existe também o “peso ideal” para Lia, onde seu objetivo é chegar aos 40Kg, mas se chegar à este peso seu cérebro cria automaticamente um novo: 38,5Kg. Mas ela mesma admite que se chegar ao 38,5 vai querer 34 e para ela, ser vazia é sinônimo de ser forte.

A narrativa é em primeira pessoa, uma ótima escolha por sinal, e é exatamente desta forma que conhecemos os pensamentos mais obscuros da nossa protagonista. É uma contradição ambulante, ao mesmo tempo que ela quer comer, ela não quer se entupir de nojeiras e poluir seu corpo.

Além de ser um livro que trata de doenças sérias, também faz uma “crítica” à estrutura familiar e às exigências existentes. Quando Lia refere-se ao seu passado, quando seus pais eram casados, ela se apresenta como “uma garota de verdade”. A Dra. Marrigan, que é chamada ocasionalmente de mãe, sabe cuidar como ninguém de seus pacientes mas não conseguia e ainda não consegue dedicar-se 100% à filha. David está sempre ocupado com suas pesquisas, seu livro e quando ainda era casado, preocupava-se também com os relacionamentos extraconjugais.

”Garotas de Vidro” é um livro perfeito para quem procura uma história com alto teor de realidade, que quebra tabus e trata de um assunto relevante tanto para os jovens quanto para os adultos. É importante nos amarmos como somos, mas nem todo mundo tem base e apoio psicológico para enfrentar tudo o que a vida traz. “A verdade nem sempre é o que enxergamos.”

setembro 10, 2012 Falando de Editora Novo Conceito // Novo Conceito // Promoção // Promoção Relâmpago

Promoção Relâmpago: Estilhaça-me


Esta é a terceira promoção relâmpago de uma série de quatro promoções. Então se você não ganhou as anteriores, não desanime! Além desta, temos o sorteio de três livros da Novo Conceito aqui e o sorteio do livro “Um Homem de Sorte” aqui, são mais chances em novas promoções! Vamos lá?
a Rafflecopter giveaway

OBSERVAÇÕES

O sorteio será finalizado no dia 16/09 e o resultado sairá no mesmo dia.
É necessário que o ganhador responda o e-mail de contato que será enviado em até 72 horas, caso isso não ocorra, o sorteio será refeito.
Qualquer dúvida entre em contato por aqui.
setembro 10, 2012 Falando de Editora Novo Conceito // Novo Conceito // Resultado

Resultado: Cruzando o Caminho do Sol


Mais uma promoção relâmpago chegou ao fim! Mas ainda hoje teremos uma nova promoção relâmpago no ar. Então, fiquem ligados! Vamos ao vencedor?
E a pessoa sortuda que ganhou o livro foi…

a Rafflecopter giveaway

Parabéns Adriele Santana! Infelizmente tive que refazer o sorteio 2 vezes pois as duas primeiras pessoas sorteadas não haviam seguido pelo menos uma das regras obrigatórias. A Adriele seguiu corretamente as regras obrigatórias e entrarei em contato imediatamente. Ela terá até 72 horas para responder o e-mail!
setembro 07, 2012 Falando de Novo Conceito // Policial // Resenha // Suspense

Resenha: Viva para Contar | Lisa Gardner


Título: Viva para ContarAutor: Lisa GardnerEditora: Editora Novo ConceitoSkoob: Adicione!Compare preços: Clique aquiClassificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Em uma noite quente de verão, em um bairro de classe média de Boston, um crime inimaginável foi cometido: quatro membros da mesma família foram brutalmente assassinados. O pai — e possível suspeito — agora está internado na UTI de um hospital, entre a vida e a morte. Seria um caso de assassinato seguido por tentativa de suicídio? Ou algo pior? D. D. Warren, investigadora veterana do departamento de polícia, tem certeza de uma coisa: há mais elementos neste caso do que indica o exame preliminar. Danielle Burton é uma sobrevivente, uma enfermeira dedicada cujo propósito na vida é ajudar crianças internadas na ala psiquiátrica de um hospital. Mas ela ainda é assombrada por uma tragédia familiar que destruiu sua vida no passado. Quase 25 anos depois do ocorrido, quando D. D. Warren e seu parceiro aparecem no hospital, Danielle imediatamente percebe: vai acontecer tudo de novo. Victoria Oliver, uma dedicada mãe de família, tem dificuldades para lembrar exatamente o que é ter uma vida normal. Mas fará qualquer coisa para garantir que seu filho consiga ter uma infância tranquila. Ela o amará, independentemente do que aconteça. Irá protegê-lo e lhe dar carinho. Mesmo que a ameaça venha de dentro da sua própria casa. Na obra de suspense mais emocionante de Lisa Gardner, autora best-seller do The New York Times, a vida dessa três mulheres se desdobra e se conecta de maneiras inesperadas. Pecados do passado são revelados e segredos assustadores mostram a força que os laços de família podem ter. Às vezes, os crimes mais devastadores são aqueles que acontecem mais perto de nós.

Em “Viva para Contar” conhecemos três mulheres distintas: Danielle Burton é enfermeira e trabalha na área de psiquiatria pediátrica de um hospital, que aos 8 anos viu seu pai matar sua mãe e seus irmãos, mas acabou poupando sua vida e ela não sabia o motivo disso; D. D. Warren é uma investigadora muito respeitada que trabalha no departamento de polícia de Boston e por ser tão dedicada ao trabalho, acaba levando uma vida desregrada e posso classificá-la como uma “velha solteirona”; Victória Oliver tinha uma juventude, uma vida profissional e um casamento perfeitos, mas com a chegada de seu filho Evan tudo acaba desmoronando em sua vida. Dorme pouco e tem medo constante do que seu filho, de apenas 8 anos, pode fazer quando ela menos esperar.

Imagino se esta será a noite em que ele finalmente vai me matar.Este é Evan, o meu filho.Ele tem 8 anos.

A história começa quando D. D. recebe um chamado de um assassinato de uma família inteira e apenas o pai da família estava vivo, mas com perigo iminente de morte. Com um intervalo de menos de 36 horas, recebe um novo chamado e mais uma família está morta. Duas famílias diferentes são assassinadas de formas muito parecidas. Será que foi o mesmo assassino? Teria sido um serial killer? É isso o que descobriremos ao longo do livro…

O livro alterna a narrativa entre as três personagens e alterna também as vozes do discurso (entre a primeira e terceira pessoa). No começo temos três vidas aparentemente bem diferentes, mas conforme a trama vai tomando forma, acabamos vendo a transformação em apenas uma narrativa. “Viva para Contar” é o quarto livro da série da investigadora D.D. Warren, mas não é necessário ler os anteriores para entender este. Uma coisa bem parecida com os livros do qual meu protagonista de livros policiais preferidos participa: o Myron Bolitar.

A autora conseguiu manter a trama em constante clima de suspense, desde o prólogo até o final. E a forma que inseriu crianças com problemas psiquiátricos foi uma pitada ainda mais eletrizante na história e na vida dos personagens. Como disse no quote desta semana, nunca imaginei que a Novo Conceito fosse lançar um livro com este preceito e me surpreendeu, de verdade. Para quem gosta de um bom suspense policial, este é um ótimo livro!

setembro 06, 2012 Falando de Novo Conceito // Quote // Quote da Semana // Trecho da Semana

Quote da Semana


.
Algumas das nossas crianças fazem progresso. Tornam-se as melhores pessoas que têm condições de ser, o que, de acordo com qualquer definição a respeito, é um triunfo. Algumas das nossas crianças cometem suicídio. Outras cometem assassinatos. São elas que dão origem às manchetes que você lê nos jornais: “Jovem perturbado abre fogo na escola”; “Filho mata a família inteira”. E as pessoas morrem, independente de terem relação com os problemas ou não.Eu sei que você está pensando. Você acha que escolhi essa carreira para salvar crianças perdidas, assim como eu. Ou, talvez, de maneira ainda mais heroica, você acha que escolhi essa profissão para evitar tragédias como aquelas que aconteceram à minha família.Entendo o que você está pensando.Mas você ainda não me conhece
Página 10

E é desta forma que começa “Viva para Contar”, um livro que eu jamais imaginei que fosse ser lançado pela Novo Conceito, de verdade. Mas até o momento está sendo uma leitura ótima e praticamente completamente devorada. Amanhã teremos resenha!

E o que vocês estão lendo? Estão gostando?

Não esqueçam da promoção relâmpago de “Cruzando o Caminho do Sol”. Ainda tem mais duas promoções relâmpago pela frente!

Páginas12345

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por