Eleanor & Park | Rainbow Rowell - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
outubro 09, 2013 Falando de Resenhas

Eleanor & Park | Rainbow Rowell


Eleanor & Park

Título: Eleanor & Park
Autor: Rainbow Rowell
Editora: St. Martin’s Griffin
Skoob: Adicione!
Compre o livro: CULTURA | SARAIVA | BOOK DEPOSITORY
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Eleanor is the new girl in town, and she’s never felt more alone. All mismatched clothes, mad red hair and chaotic home life, she couldn’t stick out more if she tried. Then she takes the seat on the bus next to Park. Quiet, careful and – in Eleanor’s eyes – impossibly cool, Park’s worked out that flying under the radar is the best way to get by. Slowly, steadily, through late-night conversations and an ever-growing stack of mixed tapes, Eleanor and Park fall in love. They fall in love the way you do the first time, when you’re 16, and you have nothing and everything to lose. Set over the course of one school year in 1986, Eleanor and Park is funny, sad, shocking and true – an exquisite nostalgia trip for anyone who has never forgotten their first love.

Eleanor & Park tem um estilo adolescente que além de te fazer desejar voltar à épocas mais simples, é… fofo. Se existe uma palavra em que eu poderia definir este livro seria esta, “fofo”. Se você gostou de O Futuro de Nós Dois ou A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista, sem dúvidas vai amar Eleanor & Park! E o melhor é que ele será lançado aqui no Brasil, muito em breve, pela editora Novo Século.

Para muitas pessoas, ser novo num novo lugar não tem mistério algum, mas para outras pessoas, numa idade diferente, não é tão simples assim, ainda mais se você não tiver uma auto-estima boa e uma estrutura familiar que te dê suporte em momentos difíceis. E assim é Eleanor, uma adolescente gordinha que é nova na cidade. Após um ano longe de sua mãe, porque o padrasto dela a expulsara de casa e foi obrigada a conviver com estranhos, Eleanor volta a conviver com ela, seus irmãos e o pior padrasto do mundo. Cidade nova geralmente é sinônimo de escola nova e lidar com isso às vezes não é tão fácil quanto se imagina, e o primeiro dia de Eleanor começou a ser difícil desde o ônibus que a levaria para seu destino: nenhuma criança queria que ela sentasse ao seu lado. O único lugar vago era ao lado do garoto asiático, Park.

Park, diferente de Eleanor, é magro e tem um núcleo familiar “normal”, seu pai é um veterano da Guerra do Vietnã e sua mãe é coreana. Ele é apaixonado por música e quadrinhos e são estes elementos que fazem a história deles dois nascer.

Durante as idas e vindas no trajeto para a escola dentro do ônibus, Eleanor sempre ficava olhando as revistinhas que Park lia sobre o ombro e ele acaba emprestando algumas para ela. O primeiro ponto que desenvolvem para uma conversa são as histórias das revisitinhas, mas logo depois Park observa que Eleanor tem algumas letras de músicas escritas em seu material escolar e ele acaba descobrindo que ela não conhece nenhuma daquelas músicas e bandas, são apenas para deixá-la mais descolada. Park acaba gravando um K7 para ela, mas as condições financeira dela são tão baixas que não pode comprar baterias para seu walkman, então ele a empresta o seu. E é a partir daí que a relação entre eles começa a mudar…

Park just wanted to see her face. Her big brown eyes, her full pink lips. Her mouth kind of looked like the Joker’s – depending on who was drawing him – really wide and curvy. Not psychotic, obviousky… Park should never tell her this. It definitely didn’t sounf like a compliment.

É angustiante ver o desenrolar da vida de Eleanor e tudo o que ela tem que engolir para evitar um conflito entre ela e seu padrasto, um alcoólatra. A mãe dela está numa posição que muitas mulheres estão hoje, se submetendo à homens porque precisam do que eles dão ou pelo simples fato de acharem que precisam. Dentro de casa, todos os filhos dormem num mesmo quarto e são cinco irmãos. Eleanor, que já tem seus 16 anos, não tem privacidade ou coisa do tipo, além de ter que usar roupas de homens. Ela tenta de todas as formas esconder sua real condição de Park, mas existe um momento, quando eles saem juntos, que é praticamente de continuar escondendo.

A escrita da Rainbow Rowell é simplesmente apaixonante! As descrições de cada ato, de cada toque, tem algo gostoso de ser lido e são passagens que você simplesmente terá o prazer de reler e salvar dentro da sua mente. E apesar de ser algo assim, corresponde à idade e ao jeito de cada personagem, sem ser algo maduro demais ou forçado demais, tudo na medida certa.

Eleanor was right. She never looked nice. She looked like art, and art wasn’t supposed to look nice; it was supposed to make you feel something.

O livro é ambientado em 1986 e provavelmente meus pais, seus pais e os irmãos deles viram romances e histórias serem como a de Eleanor e Park. Hoje a forma como as pessoas se conhecem e interagem é completamente diferente de antigamente. Antes nem todos tinham telefones, música era reproduzida através de fita K7, carta era uma das melhores formas de se corresponder com as pessoas. O pai de Park encontrou a mãe dele no outro lado do mundo, um outro alguém que é possível se apaixonar todos os dias e conviver. E para mim a história de Eleanor e Park é algo parecido com isso, não sendo algo perfeito, mas mostrando os obstáculos que a vida – o mundo – nos coloca e como os enfrentamos.

Eleanor & Park é um YA que merece ser lido por ser uma história que te faz lembrar como é ser adolescente e por captar bem essa sensação.

Nível de inglês: Médio

Acompanhe o Pronome Interrogativo nas redes sociais: TwitterFacebookYoutube



Deixe o seu comentário

11 Respostas para "Eleanor & Park | Rainbow Rowell"

Andressa Araújo - 09 outubro 2013 às 12:04

Que resenha linda! Simplesmente expressou tudo o que senti com esse livro.
Rainbow Rowell já se tornou uma das minhas escritoras favoritas por causa desse livro. É tão lindo e puro que não há como não se apaixonar, até eu que sou o que consideram “coração de pedra”, me derreti completamente pelo Park e a história de amor deles. Não foi nada forçado e sim algo muito bem construído no seu devido tempo. Achei a escrita dela tão magnífica que mal conseguia parar de ler.
Mal posso esperar para a Novo Século publicar esse livro, pois já estou fazendo merchan dele para todas as minhas amigas. Hahaha.
Adorei a sua resenha. Abraços.

Responder


Thaís Lemos Cavalcante
outubro 9th, 2013 em 12:08
respondeu:

@Andressa Araújo, fiquei super feliz com seu comentário! Também já estou falando do livro para um monte de amigas minhas que tenho certeza que vão amar a história.
Estou querendo ler Fangirl, também da Rainbow ~linda~, você já o leu?
Muito bom tê-la por aqui! <3

Responder


Andressa Araújo
outubro 9th, 2013 em 12:16
respondeu:

@Thaís Lemos Cavalcante, Ainda não li Fangirl, mas estou lendo Attachments da linda Rainbow também. <3 Estou lendo pelo celular, então vai demorar um pouco para terminar, mas até agora já estou amando. A escrita dela é tão leve e fácil de se envolver.. não tem como não se apaixonar por essa escritora! hahaha.
Também adorei ver que tem mais gente que já leu esse livro lindo, quase não conheço ninguém por aqui que tenha lido. =( Mas logo isso vai mudar.
Muito bom o seu blog! Adorei ele. <3

Responder

Aline T.K.M. - 09 outubro 2013 às 13:55

Já tinha sido atraída por essa capa lindinha antes, mas não conhecia maiores detalhes sobre o livro. E adorei sua resenha, Thaís. Apesar de encontrar aí os elementos que aparecem em inúmeros YA (adolescente inseguro que muda de cidade/escola), me chamou muito a atenção o fato de a história se passar em 86, achei mágico isso, essa volta ao tempo das K7, um colorido e uma espécie de “inocência” que hoje parecem perdidos.

Um beijo, Livro Lab

Responder

Livroterapias - 09 outubro 2013 às 14:59

Gostei do livro!
Esperar chegar no Brasil para ler
Beijinhos
Rizia – Livroterapias

Responder

Tais - 09 outubro 2013 às 16:14

Eu tenho muita curiosidade de ler esse livro, até hoje só ouvi e li elogios sobre ele.
Ainda bem que ele será lançado aqui no Brasil.

bjs
Tais
http://www.leitorafashion.com.br

Responder

Raquel Moritz - 09 outubro 2013 às 17:57

Ai eu acho esse livro tão fofinho ♥ Tem umas coisas meio bobinhas, mas acho saudável. É um casal diferente, e a forma como eles se relacionam é tão legal!

Beijo flor, parabéns pela resenha :}

Responder

Naty - 09 outubro 2013 às 22:08

Adorei a tua resenha, Thaís! Já vi vários comentários positivos sobre esse livro e não vejo a hora de vê-lo lançado aqui no Brasil. É estranho pensar que sairá pela Novo Século, não parece o tipo de livro da editora, mas enfim… Parece ser um leitura bem fofa e o fato de se passar nos anos 80 me faz querer ainda mais!

Beijo;*
Naty.

Responder

Mirelle - 10 outubro 2013 às 05:55

Oi Tha, você já me ganhou quando disse que o livro é fofo e que quem gostou de O Futuro de Nós Dois vai gostar desse. Fiquei ainda mais feliz ao saber que será lançado em breve no Brasil. Bom, então vou ficar esperando neh.. hehe Valeu pela dica. Beijos, Mi

http://www.recantodami.com

Responder

Mariana Marins - 04 novembro 2013 às 10:37

Eu já sabia desse livro há algum tempo, mas acho que só conhecia a capa (que é linda, diga-se de passagem). Não imaginava que uma capa tão fofa escondesse um livro que parece ser tão lindo! Adoro histórias que se passam no passado, e os anos 80 são uma das minhas épocas favoritas, então acho que vou gostar.
Adoreeeeei sua resenha, muito linda e bem construída, parabéns!

Responder

"Eleanor & Park" vai virar filme - Pronome Interrogativo - 03 abril 2014 às 00:19

[…] Eleanor & Park, um dos livros que gostei bastante no ano passado, vai virar filme! O site Entertainment Weekly anunciou hoje mais cedo que a DreamWorks comprou os direitos do livro. […]

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por