Filme - Ela - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
março 16, 2014 Falando de Filmes

Filme – Ela


Ela - Filme

Terminei de ver esse filme com a sensação de: ai meu Deus! Como me expressar? Apareceram tantos sentimentos de uma vez só que fiquei por muito tempo pensando só em Ela e em tudo o que me passou.

Em Ela conhecemos Theodore Twonbly (Joaquin Phoenix), um escritor de cartas que está passando por um momento difícil na vida, enfrentando uma vida solitária por estar enfrentando o processo de divórcio. Amigos estão preocupados com ele por estar apenas trabalhando e não está interagindo e agindo como antigamente, sorrindo e se divertindo.

Theodore vive numa época diferente, em que é possível interagir com os dispositivos pedindo-os que leiam e-mails, escrevam mensagens, liguem e mais uma infinidade de coisas, algo muito próximo da Siri, a voz dos aparelhos Apple. Mas existe uma atualização para esse Sistema Operacional que oferece uma realidade muito maior na relação com os usuários e Theodore o adota. A nova atualização autonomeia-se Samantha (Scarlett Johansson) e acaba conquistando o homem solitário, já que é extremamente interessante para conversar e está em constante atualização e descoberta. É fácil ser conquistado por um ser tão divertido e inteligente, e uma das maiores sensações que temos é que Samantha realmente exista, em algum lugar físico, acontecimento o mesmo com Theodore, que se apaixona por ela e ela por ele.

Ela

É quase surreal, ou bizarro, ter a sensação de que o mesmo que aconteceu com Theodore pode acontecer com qualquer um, a qualquer momento. Lembram do episódio de Big Bang Theory que o Raj se apaixona pela Siri? Pois é, é engraçado ver a mesma situação de uma forma tão diferente e poética em Ela. A essência, para mim, é que é muito fácil se apaixonar por algo que corresponde suas expectativas de uma forma tão elevada e o ser amado é tão perfeito, que a necessidade de algo físico não é tão necessário assim quando as pessoas precisam achar um remédio para os próprios sentimentos.

Esse foi um dos filmes que mais confundiram minha mente, de uma forma boa, claro! Ele é ambientado em Los Angeles, as pessoas são rodeadas de tecnologia de ponta, avançadíssima, mas usam roupas no estilo anos 60 e moram em casas com um toque moderno. Além disso, todos os elementos da história mostram o quanto as pessoas se afastaram com o surgimento de sistemas operacionais e serviços tão avançados. Um grande exemplo disso é que Theodore trabalha como escritor de cartas por encomenda, onde as pessoas especificam o que aconteceu, o que estão sentindo e ele escreve as cartas, falando sobre o sentimento de outras pessoas.

Theodore é um homem sensível que sente falta do carinho e amor que tinha quando era casado, é por isso que se apaixona tão facilmente por Samantha. Ela é um filme sobre tudo, principalmente sobre sentir-se sozinho e ter um amor. É um filme sobre superar uma experiência amorosa e ainda assim conseguir abrir-se, de uma forma diferente ou não, para um outro alguém. É sobre colocar todos os medos no parceiro e torná-lo tão pesado que você cria uma relação impossível de seguir em frente; sobre reconhecer que precisamos perdoar e sermos perdoados, não apenas pelos outros, mas por nós mesmos; sobre encontrar alguém que nos aceita como somos.

Veja Ela e encante-se com uma história de amor futurista, cheia de diálogos incríveis, recheados de reflexão e afeto.



Deixe o seu comentário

4 Respostas para "Filme – Ela"

Raquel Moritz - 16 março 2014 às 12:18

Eu to tão apaixonada :/ Eu li o roteiro do filme pq ainda não estreou aqui, e queria muito ver no cinema. É um baita filme 😡

QUEDÊ NO CINEMA?

Bjs <3

Responder

Aline T.K.M. - 17 março 2014 às 17:41

Simplesmente me apaixonei pelo filme. É engraçado pensar nele como “uma história de amor futurista” porque, salvo pelas possibilidades tecnológicas, tudo lá é tão “hoje”. O amor e os conflitos originados a partir dele, bem como os relacionamentos são muito humanos – ainda que entre um homem e um sistema -, e eu diria que são até atemporais. Não importa se lá atrás ou no futuro, algumas questões intrínsecas ao ser humano continuam se repetindo.

Um beijo, Livro Lab

Responder

Alessandra Tapias - 18 março 2014 às 08:38

Por enquanto eu só tinha ouvido falar do filme. Essa é a primeira postagem que leio sobre ele.
E eu amei!!! Quero muito assistir!
Ótima dica!!!

Bjkas

Lelê Tapias
http://topensandoemler.blogspot.com.br/

Responder

Isabela - 27 março 2014 às 10:07

Oiii! Sem dúvida um dos filmes mais sensacionais e inteligentes que vi nos últimos tempos. Incrível roteiro, atuações brilhantes e fotografia inesquecível.

Bjs, Isabela.

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por