Graffiti Moon | Cath Crowley - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
novembro 03, 2013 Falando de Resenhas

Graffiti Moon | Cath Crowley


Graffiti Moon

Título: Graffiti Moon
Autor: Cath Crowley
Editora: Random House
Skoob: Adicione!
Compre o livro: CULTURA | BOOK DEPOSITORY
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Senior year is over, and Lucy has the perfect way to celebrate: tonight, she’s going to find Shadow, the mysterious graffiti artist whose work appears all over the city. He’s out there somewhere—spraying color, spraying birds and blue sky on the night—and Lucy knows a guy who paints like Shadow is someone she could fall for. Really fall for. Instead, Lucy’s stuck at a party with Ed, the guy she’s managed to avoid since the most awkward date of her life. But when Ed tells her he knows where to find Shadow, they’re suddenly on an all-night search around the city. And what Lucy can’t see is the one thing that’s right before her eyes.

Graffiti Moon não é simplesmente um livro que fala sobre grafite, é um livro que mistura arte, beleza, emoções e que vai além das cores, chegando a pintar até mesmo nossos corações com as cores mais quentes que existem. É engraçado e ao mesmo tempo lindo como um autor consegue desenvolver e perceber que muitas coisas podem acontecer em apenas uma noite. E é este o tempo suficiente para nos apaixonarmos pela escrita da autora Cath Crowley e pelos seus personagens.

Lucy Dervish é apaixonada pelas pinturas que Shadow e Poet fazem, ambos artistas locais. Na verdade, ela é totalmente fissurada pelo Shadow e está há dois anos querendo saber quem é o responsável por trás dos grafites incríveis que vê. E é no dia que se forma no ensino médio que muita coisa pode acontecer. Al, chefe de Lucy, manda uma mensagem de texto para ela dizendo que Poet e Shadow estão no estúdio dele, mas quando ela chega lá, eles já haviam partido, por cinco minutos de diferença. Apesar disso, Lucy não se abala e vai encontrar Jazz e Daisy, suas amigas, para comemorar o dia e terem uma noite especial antes da próxima nova fase, no Feast Café. Mas o que elas não contavam era encontrar Ed, Leo e Dylan. Dylan é o namorado da Daisy, mas Ed e Leo são, consecutivamente, Shadow e Poet, mas as meninas não sabem. Eles acabam sentando na mesma mesa e as convidam para sair, elas aceitam, mas com uma condição: encontrar Shadow e Poet. Eles topam! E nesta mesma noite os três meninos planejavam roubar a ala de artes da escola delas.

Seria simples se Lucy e Ed nunca tivessem se visto ou falado, mas antes disso, eles já haviam saído e ela, por ele ter colocado a mão no bumbum dela, acabou quebrando o nariz dele. E é a partir desse incidente – ou acidente – que eles começam a conversar, mas ela continua não sabendo que ele é quem ele é.

But Shadow won’t make me vomit. I feel very sure about that. He’ll be a guy who talks about art, not an arse grabber. And like Dad says, love and romance are things worth waiting for.

O livro é dividido entre três narradores: Shadow, Poet e Lucy. E esta é sem dúvidas a melhor parte, já que podemos saber o que cada um está pensando. No início no livro vemos Shadow totalmente indiferente sobre o que Lucy pensa e o que ela gosta, mas depois de algumas horas o pensamento dele começa a mudar, mas ainda assim ele tem dúvidas, afinal de contas ele saiu da escola, está sem emprego e vai roubar a escola que ela estuda. Ele não é exatamente o Shadow que ela idealiza e isso o deixa com o pé atrás para dizer a verdade, dizer o que ele realmente pensa e quer. Além do fato deles já terem se visto antes, o que não torna toda a história, que pode acontecer entre eles, forçada demais, já que acontece em apenas uma noite, mas pode ser que um sentimento antigo vai se mostrando gradativamente, conforme a noite vai passando.

I don’t know what I expect Ed to say but I don’t expect him to talk about Veronica Mars and Butterfingers and Reese’s peanut butter cups. I like that he can talk about art and chocolate and TV and neither of us goes quiet trying to think of things to say. At least till I offer to show him how to make a ship in a bottle and he tells me it’s a waste of time. Nothing about art is a waste of time. “It’s the time wasting that gets you somewhere,” Al says.

Shadow tem suas preocupações, tem medo de roubar e ser preso, mas não quer deixar seu amigo Poet na mão. Além disso, depois que Bert morreu, seu ex-patrão, ele não tem uma figura paterna para mostrar o que ele pode ser e o quão capaz ele é. Mas ainda assim ele sabe que é capaz e tem pessoas ao redor que também acreditam em seu potencial. Lucy, apesar da idade, tem se preocupado com a relação dos pais e tudo o que tem acontecido com eles. Todos os outros personagens têm sua personalidade e seu jeito de viver a vida bem definidos e são complexos, até onde o conhecimento de mundo e a idade permite.

Cath Crowley se mostrou uma autora e tanto. O livro não é de todo descritivo, mas a forma poética e artística que ela criou cada personagem faz com que a cidade de Melbourne seja desenha com detalhes, com suas estrelas, suas cores, as fábricas e tudo que uma noite incrível pode proporcionar. Para dizer a verdade, nunca imaginei que um livro que tem a arte como um tópico forte fosse ser tão incrível e inspirador.

Queria que todas as paredes que Shadow pintou virassem obras que pudessem ser vistas com seus detalhes ricos, suas cores e seus significados. Mas como isto, infelizmente, é impossível, suas obras ficarão na minha mente por um bom tempo e poderei imaginar cada detalhe. Este, sem dúvidas, é um dos melhores livros que li este ano e tenho certeza que a editora Valentina, que lançará o título aqui no Brasil, fará um trabalho incrível.

Nível: Fácil



Deixe o seu comentário

4 Respostas para "Graffiti Moon | Cath Crowley"

Juliana Pires - 04 novembro 2013 às 06:51

Eu li uma resenha desse livro no ano passado, e foi tão boa, que eu logo coloquei na minha lista de desejados. Eu acho muito bacana essas histórias que se passam em uma noite, e fico curiosa para saber como a autora desenvolve a relação dos personagens em um espaço de tempo curto. Espero que a editora Valentina não demore muito a lançar o livro.

beijokas

Responder

Mariana Marins - 04 novembro 2013 às 09:28

Woooow, que resenha ótima!
Eu estou querendo ler esse livro há algum tempo e fiquei super empolgada quando soube que a Valentina ia lançar. Mas desde então já se passaram meses e nem sinal de publicação. O jeito vai ser ler em inglês mesmo…
Mas lendo sua resenha eu percebi que não sabia nada do livro! Só sabia que envolvia grafite, até porque é óbvio, mas nada mais. Gostei dessa ideia de o livro todo se passar em um dia, porque livros assim sempre são dinâmicos e sem enrolação. E como eu estudo Artes Visuais, tenho certeza que toda essa abordagem da arte vai me agradar. Fora que uma escrita poética é sempre bom né? hahahaha

Bjs!

Responder

Mariana - 05 novembro 2013 às 11:40

Olá!

É bem diferente do que costumo ler, não sei se eu conseguiria ler esse livro inteiro, mas acho que seria legal dar umas bizoiadas em algumas partes…

Beijos

http://letrasdanana.blogspot.com.br/

Responder

gabriele - 05 novembro 2013 às 22:49

Adorei a resenha.
Sou péssima com e malmente me arrisco a ler os textos das aulas rs
Fiquei muito feliz em saber que o título será lançado no Brasil e estou super curiosa para conferir o resultado.
Adorei o blog *-*, parabéns
http://www.viciodiario.com/

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por