O Barão nas Árvores | Italo Calvino - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
julho 24, 2013 Falando de Resenhas

O Barão nas Árvores | Italo Calvino


O Barão nas Árvores

Título: O Barão nas Árvores
Autor: Italo Calvino
Editora: Companhia das Letras
Skoob: Adicione!
Compre o livro: SUBMARINO | CULTURA
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Este romance de Italo Calvino narra a história de Cosme Chuvasco de Rondó – o filho primogênito do barão de Rondó que, em 15 de junho de 1767 revolta-se contra seus pais e sobe às árvores, para de lá nunca mais descer. Entre carvalhos, olmos, azinheiras, oliveiras e tantas outras árvores, este simples ato de rebeldia infantil transforma-se num mundo de vida e de ser – não subira para estar mais próximo do céu, mas, ao contrário, porque aquele que pretende observar bem a terra deve manter a necessária distância . O sublime ato de rebeldia do barão inaugura um novo mundo para o protagonista que atravessa galhos, espinhos, ramos, frutos, com o mesmo ardor e facilidade de Cosme Chuvasco de Rondó.

Calvino, a partir de um acontecimento aparentemente infantil, construiu um novo mundo para Cosme Chuvasco de Rondó, onde mesmo em cima das árvores viveu coisas que provavelmente não viveria com os pés no chão, literalmente.

15 de junho de 1767 é a data que marca a ascensão de Cosme Chuvasco de Rondó para as árvores, o último dia que sentou-se à mesa com seus parentes. E é através de Biágio, irmão mais novo de Cosme, que narra todas as façanhas do irmão, que conhecemos o motivo de se sua rebeldia. Batista, a irmã mais velha, tinha um jeito peculiar, até mesmo macabro, de preparar os alimentos e escolher o que seria servido. E na noite em que ela havia preparado escargot e os meninos, recém saídos de um castigo com um incidente com os pobres animais, uma tentativa falha de tentar fazê-los fugir, recusam-se a comê-los. Barão de Rondó, o pai, dera duas opções: comer os escargots ou voltar para o quartinho, uma pequena prisão onde estavam de castigo. Biágio os come, mas Cosme, apesar de ter apenas 12 anos, cria uma nova opção e sobe num carvalho. E apesar dos protestos e críticas do pai, promete nunca mais descer, o que realmente acontece, e torna-se O Barão nas Árvores.

Calvino construiu uma obra simples mas cheia de reentrâncias para nós. Logo no princípio do livro nos mostra que Cosme e Biágio, que já estavam familiarizados em subir em árvores, eram bastante diferentes dos meninos que subiam para pegar frutas ou ninhos, o objetivo deles era superar as saliências dos troncos. Veja aí um exemplo de superação de si próprio. Entretanto, você vai se perguntar porque Biágio, que também havia se recusado a comer escargot, não subiu junto de Cosme. Ao longo da narrativa acabamos descobrindo seus motivos e sentimentos relacionados à Cosme e sobre o que ele fazia.

Aquela necessidade de entrar num elemento difícil de ser possuído, que pressionara meu irmão a tornar seus os caminhos das árvores, agora ruminava dentro dele, insatisfeita, e lhe comunicava a ânsia de uma penetração menor, de uma revelação que o unisse a todas as folhas e lascas e penas e voos. Tratava-se daquele amor que tem o homem caçador pelo que é vivo e não sabe exprimir a não ser apontando-lhe o fuzil; Cosme ainda não sabia reconhecê-lo e tratava de desabafá-lo insistindo na sua exploração.

Essa é uma obra que aborda problemáticas universais, mas são trabalhadas com humor, leveza e ironia. Apesar de pertencer à uma família completa, Cosme sente-se, ainda assim, sozinho. Com um pai austero e rigoroso e uma mãe que tenta se adaptar a realidade de mulher, que antes participava ativamente das atividades do pai, um general, mas não é totalmente feliz, ambos tentam se adaptar dentro da família, sem mostrar os verdadeiros sentimentos.

Apesar de parecer uma fábula, Calvino nos apresenta um novo mundo com Cosme. O rancor que sentia pela família o faz subir nas árvores, o desejo de conhecer e explorar o faz se movimentar e expandir seu reino através dos galhos e sempre está conhecendo novas pessoas, posso destacar Viola, uma menina que o marca e colabora para que fique sobre as árvores. Além disso, o autor reinventa acontecimentos históricos como a Revolução Francesa, as campanhas de Napoleão Bonaparte e toda a transição entre o século XVIII e XIX.

O Barão nas Árvores é um livro que nos faz refletir de uma forma diferente, porque, como disse antes, apesar de Cosme estar em cima das árvores, diferente de todas as pessoas e sendo até mesmo considerado um louco, ele faz muito mais do que as pessoas que estão em terra. Simplesmente leia e conheça a magia de Calvino!



Deixe o seu comentário

7 Respostas para "O Barão nas Árvores | Italo Calvino"

Vivi Blood - 25 julho 2013 às 22:24

Que livro diferente, digo, a história.
O que me chamou atenção além de sua resenha perfeita foi o moço subir em árvores. Amei, para mim, que amo abraçar árvores, esse livro cairá bem como uma luva. Quero ler.
Obrigada pela dica.
Beijinhos
Viviane
Razão e Resenhas

Responder

Poly - 25 julho 2013 às 23:21

Pela sua resenha pareceu ser um livro interessante, mas não sei pq eu não me simpatizei por ele a ponto de querer ler. Nem a capa, nem nada >_<
Bjuxxxx

Responder

Michelle - 26 julho 2013 às 07:18

Oi, Thaís!
Até agora, só li “Cidades Invisíveis” do Calvino e fiquei maravilhada com os mundos que ele criou. Já tenho “O Barão nas árvores” aqui para ler e é sempre ótimo encontrar resenhas bacanas como a sua que nos dão mais vontade ainda de conhecer uma história.
Valeu 😉
bjo

Responder

Delmara Silva - 26 julho 2013 às 10:54

Que bom que gostou do livro,
ele não me chamou muito a atenção,
creio que não o leria

http://soubibliofila.blogspot.com.br/

Responder

Gilciany - 26 julho 2013 às 14:53

Oi flor, nossa que resenha bacana sobre uma obra do Calvino que eu, sinceramente não conhecia.
Li muitos textos dele na facu e gosto da forma como ele nos instiga e nos faz pensar em questões que até o momento, não havíamos pensado.
Gostei da obra, que apesar de singela, tem muito a nos ensinar. Aliás como tudo que o Calvino escreve, sempre trás coisas boas que levamos para a vida toda.
Bjokas

http://www.lerepensar.com

Responder

Julia - 26 julho 2013 às 21:00

Nunca tinha ouvido falar,adorei sua resenha fiquei com vontade de ler

Beijos
http://teenagersblogofficial.blogspot.com.br/

Responder

Raquel Moreira - 27 julho 2013 às 12:52

Tô na página 10 *___*

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por