Abençoadas - The Blessed #1 | Tonya Hurley - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
janeiro 19, 2013 Falando de Resenhas

Abençoadas – The Blessed #1 | Tonya Hurley


Título: Abençoadas
Autor: Tonya Hurley
Editora: iD
Skoob: Adicione!
Compre o livro: Clique aqui
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Três jovens completamente perdidas, cada uma tendo de enfrentar seus próprios “demônios”. Agnes é uma romântica convicta, mas uma recente desilusão amorosa fez com que ela fosse parar no hospital com os pulsos cortados. Cecília é apaixonada por música, mas acabou tendo que abrir mão de seu respeito próprio por um lugar para dormir ou até para ser paga pelos seus shows. Devido ao seu status de socialite teen, Lucy aparece com frequência nos tabloides sensacionalistas, mas seu estilo de vida superficial faz com que ela se sinta cada vez mais sozinha e vazia.

Essas garotas se conhecem quando vão parar no hospital na mesma noite. Na manhã seguinte, cada uma acorda com um bracelete presenteado por um único rapaz, Sebastian – lindo, misterioso e com um plano para elas.

Abençoadas, o primeiro livro da trilogia The Blessed, me deixou meio balançada com os assuntos tratados. É um livro pesado e intenso, acredito que o estilo gótico, não para o lado obscuro do estilo, mas tratando-se do contexto social, político e religioso, tenha sido uma escolha muito feliz para a história.

No dia 31 de outubro, Halloween, três meninas completamente diferentes e por motivos bem definidos dão entrada na emergência do Hospital Perpétuo Socorro: Agnes, com apenas dezesseis anos que acredita veementemente no amor incondicional, tenta suicidar-se com cortes bem profundos nos pulsos; Cecília, com seus rebeldes dezoito anos, é encontrada afogada com o rosto em uma poça; e Lucy, uma alpinista social de apenas dezessete anos, é encontrada desmaiada no banheiro de uma boate. Até então, apenas uma mera coincidência estarem no hospital no mesmo dia, mas suas vidas acabam se conectando quando um estranho encantador entrega, para cada uma delas, um bracelete e é com este presente que suas vidas mudam.

Após receberem alta no dia seguinte, voltam para a vida que tinham antes, mas estão, de certa forma, diferentes. Lucy, ao ser expulsa de uma das boates que “colocara no mapa”, pega um táxi sem rumo definido. Agnes, que não tinha um relacionamento equilibrado com a mãe por terem pensamentos completamente diferentes, acaba fugindo de casa, sem saber para onde ir. E Cecília, uma rock star local, que tocava em bares para se sustentar, é expulsa do apartamento que morava por não pagar o aluguel. Ambas rumam sem destino, mas acabam se deparando com uma igreja que possui os mesmos símbolos que estavam em seus respectivos braceletes e dentro da igreja, acabam encontrando Sebastian, um paciente que escapara do setor psiquiátrico do Hospital Perpétuo Socorro no mesmo dia em que as três meninas haviam dado entrada.

– Essas pulseiras são o quê, mísseis teleguiados? – perguntou Cecília.
– Os talismãs. Eles são chamados de milagros, em espanhol. Significa “milagres” – disse ele, restituindo os amuletos para elas. – Servem para orientar. Curar. Trazer de volta para casa.

Como disse no Quote da Semana, é incrível a capacidade que alguns escritores têm de dar um ar romântico aos rapazes excêntricos das tramas. E é desta maneira que acabei me encantando por Sebastian logo de cara, porque de alguma forma ele sabia o que cada uma das meninas que recebera os braceletes precisava, isso trouxe uma sensibilidade incrível ao personagem. Algo que me agradou bastante foi a visível mudança que Agnes, Cecília e Lucy sofreram ao longo da história, seus pensamentos e formas de agir tornaram-se outros. Elas acabam percebendo e questionando a forma que estavam vivendo e as escolhas que faziam.

Abençoadas tem uma história incrível. A autora utilizou elementos que nunca havia visto em um livro, como a loucura, santidade e até mesmo a política, juntos; e apesar de ter demorado um pouco para me conectar à história, achei a trama muito bem elaborada. Provavelmente você vai se perguntar: Então qual o motivo de dar apenas três estrelas? A trama tem elementos maravilhosos, mas, apesar de ser narrada em terceira pessoa, a autora não soube dar mais vida ao livro e aos momentos que os personagens enfrentaram. Indo mais a fundo, por ter um teor gótico, como havia mencionado anteriormente, a narrativa tem um quê poético, portanto não sei se este elemento influenciou na forma que a autora escreveu.

Para ser sincera, quero muito saber o que acontecerá com os personagens nos próximos livros e como a autora solucionará as pontas que foram deixadas. Como disse, a história é incrível! E caso você goste de romances sobrenaturais e procura uma inovação na ficção de livros deste gênero, com santos, mártires e religião, Abençoadas é uma ótima escolha.



Deixe o seu comentário

12 Respostas para "Abençoadas – The Blessed #1 | Tonya Hurley"

Ma Felix - 21 janeiro 2013 às 17:45

Parace legal 🙂
Vim retribuir sua visitinha ao meu blog querida.

Tem uma ótima oportunidade de trabalhar em casa lá no blog, da uma olhadinha.
http://www.mafelix.com.br/2013/01/oportunidade-de-trabalhar-em-casa.html

Volte sempre.
http://www.mafelix.com.br
Beijos

Responder

Luana Karla - 21 janeiro 2013 às 22:00

Esse livro parece ser bom, mas acho que não iria gostar muito, pois como você falou, a autora não soube dar mais vida ao livro.
Beijos,
Luana Karla – Sector 12 – http://sector-12.blogspot.com.br

Responder

Ana Ferreira - 22 janeiro 2013 às 00:20

Olá, Thaís!
Para você ter noção, a história do livro e a sua resenha me deixaram tão curiosas que estou indo agora adicioná-lo às futuras leituras no Skoob :p Quero dizer, ainda que você tenha dado 3 estrelas e tenha ressaltado alguns pontos que talvez tenham diminuído o seu contentamento com a leitura, é notável que houve mais prós que contras.
O que mais me chamou atenção foi a autenticidade da história. Não é um juvenil com o qual estamos acostumados e essa veia sombria, para meus gostos diversificados de leitora, é muito atraente.
Bela resenha =)
Grande beijo!

Responder

Esteffani Fontes - 22 janeiro 2013 às 00:48

Eu não leio os livros quando as capas são assustadoras, mas essa até que eu gostei da resenha… dá pra levar … Mas de qualquer forma, ainda to com medo!
Obg pela visita em meu blog, volte quando quiser tá?
Aos Dezesseis Anos – Blog | Twitter | PageFB

Responder

Isadora Ferreira - 22 janeiro 2013 às 10:08

Oi Thaís, tudo bem? Amei sua resenha. Me interessei muito pelo livro, mesmo que você tenha dado apenas 3 estrelas. Gosto muito desse estilo mais gótico e amo quando tem discussões sobre temas de nosso dia a dia nos livros. Fiquei louca para ler!
Beijos

Responder

Angélica Roz - 22 janeiro 2013 às 12:49

Oi Thais!
Os livros da editora iD não me atraem… Muito YA para a minha cabeça…
Beijos!!

Responder

Carissa Vieira - 22 janeiro 2013 às 15:08

Fiquei interessada. Gostei da sinopse e sua resenha me fez ficar com vontade de ler, mesmo com a “falta de vida” da história.

Beijos,

Carissa
http://artearoundtheworld.blogspot.com

Responder

Rapha - 22 janeiro 2013 às 17:16

Oi Thais 😉

Flor, que lindo seu layout, ameeeeeei! *-*

Qnto a resenha, eu ainda nao tinha lido nenhuma desse livro, fiquei super curiosa pra poder ler!!! Parece ser mto bom. Eu nunca gostei mto de sobrenaturais, mas dps de ter lido Nas Sombras, fiquei mais aberta usahusha..

Beijao!

Responder

Juh** - 23 janeiro 2013 às 08:30

Oi Thaís!
Acho essa capa muito sinistra, de início não me interessei por esse livro. No entanto, a sua resenha (mesmo sendo apenas três estrelas) me deixou curiosa para entender esse lance da pulseira e tal. Acho que vou colocar na listinha. 😉

Beijos
Livros e blablablá

Responder

Beatriz Medeiros - 23 janeiro 2013 às 18:03

Oi Thais! Primeiramente queria dizer obrigada por visitar meu blog, eu também gostei muito daqui e to seguindo também 🙂 Ah, também gostei muito da sua resenha. Quando vi esse livro nas novidades a capa dele me chamou muita atenção, li a sinopse e fiquei mais curiosa ainda pra saber como é a história em si. Mas você disse que a narração é em terceira pessoa e, na minha opinião, se a autora não souber lidar muito bem com esse tipo de escrita o livro pode ficar “morto”. Beijos!

Diário de Florence {http://diariodeflorence.blogspot.com.br}

Responder

Hianna Suzart - 15 fevereiro 2013 às 19:51

Nunca tinha ouvido falar deste livro,não gosto muito de livros deste gênero.
Legal a sua resenha.

Responder

Hianna Suzart - 15 fevereiro 2013 às 19:51

Nunca tinha ouvido falar deste livro,não gosto muito de livros deste gênero.
Legal a sua resenha.

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por