Resenha: Dança da Morte | Douglas Preston e Lincoln Child - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
novembro 22, 2011 Falando de Resenha

Resenha: Dança da Morte | Douglas Preston e Lincoln Child


.

O tenente Vincent D’Agosta está tendo dificuldades em lidar com o desaparecimento de seu melhor amigo, o agente do FBI Aloysius Pendergast, que estava em uma missão na Europa. D’Agosta, porém, não tem muito tempo para pensar no assunto, pois recebe uma carta escrita por Pendergast antes de desaparecer, alertando-o dos sinistros planos de seu irmão, Diogenes. Para encontrar Diógenes, ele inicia uma corrida contra o tempo, que fica cada vez mais perigosa quando amigos próximos de Aloysius começam a morrer.

Devo começar dizendo que este é um dos livros policiais mais fantásticos que já li! O livro é bem diagramado, gostoso até de pegar por ser um livro grosso, coisa que amo. Mas vamos aos detalhes… os personagens são incrivelmente bem construidos, principalmente Pendergast e Diogenes, dois homens muito parecidos, inteligentíssimos, conhecedores de literatura, história, música, arte e diversos outros campos do conhecimento. 
A trama começa de uma forma bastante inusitada: um professor chamado Hamilton, morre diante de um auditório cheio de alunos por um veneno que tem uma reação bem sinistra quando em contato com a água. A partir daí, conhecemos a capitã Laura Hayward e o tenente Vicent D’Agosta, policiais que eram companheiros de trabalho e depois de um tempo, tornaram-se namorados e decidiram morar juntos. Laura e Vincent são bastante humorados e como o livro é escrito em terceira pessoa, percebemos também que são muito “sacanas“. Durante o jantar dos dois, ouve-se a campainha tocar e é o mordomo de seu grande amigo e companheiro de muitos casos complicados, Aloysius Pendergast, que deseja levar Vincent para a residência de Aloysius. Chegando à Riverside Drive, 891 recebe a notícia de que Aloysius está morto, neste momento, Vincent recebe um bilhete que seu amigo havia escrito antes de partir explicando todo o plano seu irmão Diogenes e é onde tudo começa a acontecer e muita gente a morrer.

– Tenente Casson? Aqui é a capitã Hayward, do Departamento de Polícia de Nova York.
– Não me importa se você é o capitão Canguru. Sabe que horas são aqui em Nova Orleans?

Conhecemos outros personagens muito legais e incrivelmente amáveis como o jornalista Smithback, sua esposa Nora Kelly e um amiga deles em comum Margo Green, que antes foi odiada por Nora, mas logo depois amada. Mas conhecemos também pessoas odiáveis como as pessoas mais velhas e antigas do museu e também o próprio Diogenes, um completo cretino.

Sinceramente, fiquei incrivelmente chocada de como os autores trabalharam a personalidade de cada personagem. Pendergast e Diogenes com personalidades bastante complexas; Laura, forte e ao mesmo tempo uma mulher frágil; Vicent, um cara muito decidido que levou a fundo o sentido da amizade; Margo e Nora, duas mulheres de fibra e completamente dedicadas ao que fazem no museu e Smithback, um jornalista decidido a não deixar Harriman, seu “concorrente”, a pegar qualquer matéria que surgisse.

E se você gosta de romances policiais, que o deixa preso até às 3 horas da manhã por não conseguir parar de ler e recheado de muito suspense, com certeza este livro é para você.

Uma coisa bastante legal que tem no site dos autores são algumas Fan Arts e informações bastante legais, sobre os autos e principalmente sobre seus livros. Fiquei meio impressionada pelo forma que as pessoas desenharam alguns personagens, porque, de certa forma, foi exatamente como havia imaginado. Vale a pena dar uma conferida!



Deixe o seu comentário

7 Respostas para "Resenha: Dança da Morte | Douglas Preston e Lincoln Child"

Lari - 22 novembro 2011 às 16:45

Oii.
Adorei sua resenha. E o livro me interessou mesmo.
Ando sentindo falta desses romances policiais que te prendem. Os livros atualmente andam meio morninhos. hahaha
Mas confesso que a capa me assustou um pouco. (tá, ela me assustou muuuito) hahaha

bjão

Responder

Lipe Ralf - 22 novembro 2011 às 19:57

Thais, como conseguiu parceria com a Record? (me conta depois, kkk)
Então, gosto muito de livro assim, cheia de intrigas e mortes.
Gostei da resenha, e espero ler este livro um dia, apesar da capa não ser bonita.

Lipe Ralf
meus-erros.blogspot.com

Responder

Pollyanna - 23 novembro 2011 às 17:53

Fiquei interessada no Livro! Gostei muito da Resenha! Vou colocar na minha lista de desejos, e quem sabe!
Seguindo Aqui)))))
Visite meu Blog, ficarei Feliz…
http://portfolio.ispirazione.org/

Responder

Marco Antonio - 23 novembro 2011 às 20:48

Boa noite,
Gostei muito da resenha e não conhecia o livro e fiquei muito curioso.
Abçs.

http://devoradordeletras.blogspot.com/

Responder

Glaucea Vaccari - 23 novembro 2011 às 22:25

Nunca ouvi falar desse livro.
Mas como romances policiais é um do meus gêneros favoritos, fiquei super curiosa e interessada nesse livro.
E mesmo se não fosse, sua resenha ficou ótima e conseguiu me empolgar.
Quero ler.
Bjo

Responder

Luana Farias - 24 novembro 2011 às 11:50

Apesar da capa ser chocante o livro parece ser bom, menos mal que vc gostou. Eu to precisando de uns livros assim.

Bjs

Responder

Kaah'riny - - 24 novembro 2011 às 14:37

Oi! 😀
Nunca havia ouvido falar sobre esse livro, mas gostei bastante da sinopse e da sua resenha. *-* Nunca mais eu li nenhum do gênero, então adoraria poder começar a lê-lo agora, mas não posso. T.T
A estória parece ser inteligente e bem desenvolvida como você falou!

A capa é interessante. haha’

Bjuu’ ^^
april-1993.blogspot.com

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por