Estive em Lisboa e Lembrei de Você | Luiz Ruffato - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
janeiro 09, 2013 Falando de Resenhas

Estive em Lisboa e Lembrei de Você | Luiz Ruffato


Título: Estive em Lisboa e lembrei de você
Autor: Luiz Ruffato
Editora: Companhia das Letras
Skoob: Adicione!
Compre o livro: Clique aqui
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Luiz Ruffato, que há alguns anos ocupa lugar de destaque na moderna narrativa brasileira, opera em Estive em Lisboa e lembrei de você um pequeno milagre narrativo, criando uma história ao mesmo tempo densa e veloz a partir das marcas linguísticas presentes na fala de seu personagem-narrador.

Estive em Lisboa e Lembrei de Você” faz parte da coleção Amores Expressos, da Companhia das Letras. Esta coleção, na época que foi lançada, causou muita polêmica pois reuniu dezesseis autores brasileiros com o objetivo de viajar, cada um para uma cidade diferente, por um mês para se inspirar e criar uma história de amor. Até aí não há motivos para polêmicas, o motivo vai para o lado econômico já que cada autor teria uma ajuda de custo de 100 euros por dia e, como o produtor do projeto, Rodrigo Teixeira, tinha objetivo de adaptar cinematograficamente as obras criadas, cada autor ganharia 10.000 reais pelos direitos audiovisuais dos livros. Bem, convenhamos que é um dinheiro bem forte. Polêmicas a parte, vamos ao que interessa!

O livro é dividido em dois capítulos e consequentemente, em dois momentos cruciais: Como parei de fumar e Como voltei a fumar. No primeiro capítulo conhecemos Serginho, um verdadeiro mineiro com todos os trejeitos que um morador de Cataguases poderia ter. O conhecemos exatamente no momento em que ele conseguiu parar de fumar, quando o doutor Fernando, ginecologista e obstetra, receita tegretol, um remédio para tratar a epilepsia; fluoxetina, antidepressivo; e adesivos de nicotina. Durante seus namoricos, acaba engravidando Noemi e o pai da menina acaba obrigando Serginho a se casar. Depois de alguns meses, nasce Pierre e logo após o nascimento da criança, a mãe enlouquece e acaba sendo internada depois que é encontrada pelada na frente da prefeitura. E algum tempo depois, a mãe de Serginho morre.

E foi assim que, depois de seis anos e meio, pouco mais ou menos, entrei numa tabacaria, pedi um maço de SG, um isqueiro, tirei um cigarro, acendi e voltei a fumar.

Com todos os difíceis acontecimentos que estava sofrendo, principalmente pelo filho ter ficado com os avós maternos e estar desempregado, acaba sendo influenciado por uma conversa de bar e decide ir para Portugal. Iria para o exterior para conseguir juntar dinheiro e dentro de um ou dois anos voltaria para o Brasil para comprar alguns imóveis para se sustentar e deixar seu filho orgulhoso. Com a decisão de virar imigrante em Portugal, acaba virando a estrela da cidade, é entrevistado, as pessoas o cumprimentam mais e, através disso, podemos perceber que Serginho acaba traçando o sonho de muitas pessoas que viviam no interior por causa da reação que tinham.

Ao chegar em Portugal, percebe que a vida não seria tão fácil como haviam falado. O dinheiro começa a ficar pouco e até pensa em tomar veneno ou pular de uma ponte, mas por sorte e por uma indicação, acaba arrumando emprego em um restaurante, consegue se sustentar na pensão em que vivia, guardar um dinheirinho e ainda mandar pensão para o filho. Mas as coisas começam a mudar quando conhece Sheila, uma prostituta.

Esse é o primeiro livro de Luiz Ruffato que leio e pela quantidade de páginas, apenas 88, poderia até chamar o texto de conto. Mas devo confessar que apesar das poucas páginas, Ruffato traz um mar de informações para o leitor. Primeiramente ele abusa do jeito mineiro de falar desde o título até as expressões que o protagonista e os personagens paralelos usam. Encontramos estas marcas linguísticas e sociolinguísticas através dos portugueses, angolanos e das diversas outras pessoas, também imigrantes, que Serginho vai conhecendo ao longo da história. Outro fator importante a ser destacado seria a forma que as pessoas reagem às atitudes e história de Serginho, alguns ajudam, outros o distanciam imediatamente, mas o mais legal é quando encontra um conterrâneo ou algum português que odeia os próprios conterrâneos.

Não indicaria “Estive em Lisboa e Lembrei de Você” para qualquer pessoa, principalmente por ter uma entonação diferente e, de certa forma, possuir muitos elementos subjetivos. O desenvolvimento da trama é diferente da maioria dos livros que já li, mas é ótimo e o final é bem legal.



Deixe o seu comentário

17 Respostas para "Estive em Lisboa e Lembrei de Você | Luiz Ruffato"

Lauri Brandão - 10 janeiro 2013 às 00:35

Ultimamente tenho vistiado muitos blogs com várias dicas de livro que não conhecia. O seu foi um deles rs.
Achei super interessante a estória e bom até pelo tanto de páginas, dá pra se ler em apenas uma tarde.
Adorei a resenha!
Estou seguindo o blog, obrigada pela visita.
Resenha #59 – Uma Cama para Três
Confere lá!
Manuscrito de Cabeceira
Beijos.

Responder

Giulia Ladislau - 10 janeiro 2013 às 07:22

Que legal essa ideia de mandar cada autor pra um país pra eles escreverem! Vc tem mais algum dos outros livros?
Adoro quando vc traz elementos técnicos pras suas resenhas. “elementos linguísticos e sociolinguísticos” *-* #sousuafã
Beijinhos! Giulia
Prazer, me chamo Livro

Responder

Angela Graziela - 10 janeiro 2013 às 11:03

Achei muito interessante a proposta
E esse livro eu não conhecia

Beijos
@pocketlibro
pocketlibro.blogspot.com.br

Responder

Lili - 10 janeiro 2013 às 13:03

Eu fiquei supercuriosa e me interessei pelo projeto.
Achei a ideia incrível, afinal a Cia das letras é uma editora que não costuma cobrar barato dos seus livros, deste modo, porque não investir parte dessa renda em gerar um material diferenciado?

E que capa diva!

liliescreve.blogspot.com

Responder

Livroterapias - 10 janeiro 2013 às 13:22

Nossa, esse livro deve ser muito bom!
Adorei a resenha
não conhecia!
=)
Rízia – Livroterapias
http://livroterapias.blogspot.com.br/

Responder

Ane Reis - 10 janeiro 2013 às 15:40

Oie Thais!

Não conhecia esse livro, mas as vezes gosto de variar lendo algo mais rápido no estilo conto mesmo.
A história apesar de curtinha para que foi bem desenvolvida e isso conta muito.

Ótima resenha!

bjus;***

anereis.
mydearlibrary | bookreviews • music • culture
@mydearlibrary

Responder

Gilciany Viana - 10 janeiro 2013 às 16:48

Oi Tata, quanto tempo né flor?
Ai menina que coisa heim, eu estava falando dessa série na semana passada com um amigo. Daí, eu venho aqui e vejo a resenha de uns dos livros. Que bacana!
Meu amigo estava justamente me falando do bafafá que foi quando os livros saíram, mas cá pra nós, não fiquei tão cativada, sem contar com esse designer de capa que em nenhum momento me deixou curiosa.
Já que investiram tanto na escrita e publicação, deveriam ter pelo menos dado mais atenção aos desenvolvimentos das capas, poderiam ser melhores, vc não acha?
Enfim, gostei da sua resenha, mas não sei se leria o livro, por que infezlismente não me atriu.
Bjão querida.

Responder

Fernanda Faria - 11 janeiro 2013 às 02:41

Achei bem diferente a ideia de mandar cada autor para um pais diferente.
Gostei bastante da resenha, mas acho que não faz bem o meu estilo ;/
beijocas,
Fernanda,
http://www.lendoeesmaltando.blogspot.com.br

Responder

Jessica Souza - 11 janeiro 2013 às 09:31

Não conhecia, o livro. E a iniciativa(da viagem) é bem legal…
Gostei, até me deu vontade de ler 🙂
Beijokas
Jeh
http://www.starbucksandbooks.org

Responder

Verônica Sobreira - 11 janeiro 2013 às 11:53

Oi, Tháis, menina que coincidência este livro do Luiz ruffato e um dos livros que está na minha lista para prova de especialização em Literatura brasileira que farei dia 21/02. Que legal, acho que vou gostar do livro.

Responder

Mirelle Candeloro - 11 janeiro 2013 às 12:51

Olá querida, obrigada pela visita. Sim, amei as idéias do Sal. Estamos precisando urgente de uma reforma no ensino. Espero que futuramente meus futuros filhos tenham possibilidade de estudar de uma forma diferente, mais moderna e condizente com a necessidade de sociedade de hoje. Estou louca pra comprar esse livro, quero ler e dar pra minha tia e minha mãe que são profs. e que tb compactuam com idéias revolucionárias como as do Sal.. hehe

Fico feliz que tenha gostado do meu blog.

Adorei seu blog, ele é mto fofo e vc escreve mto bem. Já favoritei ele ;o)

Bjokas e volte sempre, Mi

http://www.recantodami.com

Responder

Ana Clara Rezende - 11 janeiro 2013 às 14:43

Oiii, aqui é a Ana Clara do Biblioteca Virtual.
Amei o seu blog também e já estou até seguindo. Você escreve muito bem, gostei demais da resenha. Fiquei super empolgada com este livro, sério mesmo, quero ver se ele retratou certinho os mineiros, kkkkkk. Sério gostei mesmo do livro, espero poder ler em breve.
Parabéns pelo blog, vou sempre passar aqui.

Responder

Marco Antonio - 11 janeiro 2013 às 20:09

Boa noite Thaís,

Mais um livro que fico conhecendo aqui no seu blog, diferente e parece interessante…parabéns pela resenha…abçs.

http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

Responder

Aline T.K.M. - 12 janeiro 2013 às 21:30

Oie! Fiquei muito interessada no livro, primeiro porque gosto bastante de Portugal, é um país lindíssimo e temos muito deles quanto eles têm muito de nós, brasileiros. Não sabia dessa história da proposta feita aos autores, a parte da viagem é bem legal, meio que um laboratório de vivências, e a parte dos direitos audiovisuais, bom, é uma grana (mas também não sei o quanto é praticado normalmente nesse tipo de direitos), mas acho bem positivo a ideia de adaptar as obras, já que é literatura e cinema brasileiros em foco.

bjs
Livro Lab

Responder

bgsmeinterfona - 15 janeiro 2013 às 11:53

Oi! Conheci o blog essa semana e já adorei e favoritei ele!
Adorei a resenha, acabei ficando interessada no livro, só achei um problema a quantidade das paginas, a impressão que dá é de que é um livro meio vazio, mas pelo que você disse ele não é assim, então me empolguei.
Interessante saber que pode virar adaptação cinematográfica, acho que isso enriquece o cinema brasileiro.
Parabéns pelo blog!
Beijos
http://craseando.wordpress.com

Responder

Pah - 15 janeiro 2013 às 18:49

Gostei de ver que vc disse que nao indicaria o livro para qq pessoa, alguns livros são mais especificos e nao é todo mundo que avisa isso

bjos
Pah
dicalivros.blogspot.com

Responder

Del Lopes - 08 fevereiro 2014 às 19:07

oi Thais
só passei por aqui para dizer que gostei demais do seu comentário e para dizer que fiz um casting para participar do filme baseado no livro….estou esperando para ver se fui aprovado pois parece com a minha própria história ao vir para Portugal….
abração
lindo blog
Del

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por