Extremely Loud & Incredibly Close | Jonathan Foer - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
janeiro 13, 2013 Falando de Resenhas

Extremely Loud & Incredibly Close | Jonathan Foer


Título traduzido: Extremamente Alto & Incrivelmente Perto
Autor: Jonathan Safran Foer
Editora: Penguin
Skoob: Adicione!
Compre o livro: Clique aqui
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

In a vase in a closet, a couple of years after his father died in 9/11, nine-year-old Oskar discovers a key…
The key belonged to his father, he s sure of that. But which of New York s 162 million locks does it open?
So begins a quest that takes Oskar – inventor, letter-writter and amateur detective – across New York s five boroughs and into the jumbled lives of friends, relatives and complete strangers. He gets heavy boots, he gives himself little bruises and he inches ever nearer to the heart of a family mystery that stretches back fifty years. But will it take any closer to, or even further from, his lost father?

Como vocês viram em uma das postagens da semana passada, decidi que este ano lerei mais livros em inglês e comecei, junto com o Raul, um rapaz que conheci no Twitter, a ler Extremely Loud & Incredibly Close que foi um livro que ele citou e como já o tinha em inglês achei uma ótima oportunidade.

Extremely Loud & Incredibly Close é um livro bem peculiar. Digo isso porque além de possuir uma forma de diálogo bem diferente dos livros que estamos acostumados, não é linear. Dessa forma, o livro é narrado, em sua maior parte, por Oskar Schell, um rapazinho de apenas 9 anos, fã de Stephen Hawking, com questionamentos e ideias muito diferentes das crianças de sua idade. Oskar tinha uma relação muito forte e próxima com seu pai, Thomas Schell, mas é após a morte de Thomas, no atentado de 11 de setembro, que as coisas começam a mudar e Oskar torna-se ainda mais parecido com seu pai.

“I changed the course of human history!” “That’s right.” “I changed the universe!” “You did.” “I’m God!” “You’re an atheist.” “I don’t exist!” I fell back onto the bed, into his arms, and we cracked up together.

Thomas era muito criativo quando o assunto era despertar o raciocínio e contribuir para o aumento do conhecimento do filho. E esta é uma das razões pela qual, quando Oskar está mexendo no closet do pai e quebra, por acidente, um vaso e encontra um envelope escrito “Black” com uma chave dentro, começa sua busca por algo que ele não sabia o que esperar. Seria mais uma charada? Depois de testar a chave em todas as fechaduras do apartamento, acaba tendo a ideia de procurar todas pessoas que possuem o sobrenome “Black” na cidade para saber para que serviria aquela chave, o que abriria.

Entre a busca e a dor pela perda de Oskar, acabamos acompanhando a história entre sua avó e avô através das cartas. O avô de Oskar, refugiado da 2ª Guerra, escreve para seu filho que ainda não havia nascido, Thomas, por ter abandonado a esposa grávida. E a avó de Oskar se comunica diretamente com seu neto também através das cartas, explicando seus sentimentos.

Devo dizer que não imaginava o quão bom esse livro poderia ser. É uma leitura surpreendente não apenas pela história criada, mas também pelos personagens desenvolvidos. O Sr. Black, um centenário que acaba ajudando Oskar em sua busca, e a mãe de Oskar, uma mulher admirável, com toda sua paciência e coragem, são personagens notáveis. O mais curioso que percebi é que apesar de Oskar ter um jeito diferente para uma criança de sua idade, é ele quem dá o tom de romance ao texto, por outro lado, seu avô acaba dando um tom mais adulto à obra, mais duro. Os elementos gráficos usados durante a leitura foram um toque a mais na obra.

Foer foi um dos autores atuais que conseguiu mostrar, assim como Machado de Assis, que não é necessário um pano de fundo genial e complexo para criar uma história maravilhosa. Utilizar a mente humana, com seus medos, válvulas de escape e fugas da realidade para buscar a paz também é uma ótima forma incrível de escrever. Extremely Loud & Incredibly Close não trata apenas de busca e perda, mas também trata de saudade, sobre agir da forma certa no momento certo e principalmente, como é ser de carne e osso.

Meu único conselho é: leiam esse livro. Apesar do autor utilizar uma forma fragmentada de escrever e, assim, não agradar todos os tipos leitores, vale a pena conferir o que ele pode nos passar através de seus personagens tão humanos quanto nós.

Nível de inglês: Médio



Deixe o seu comentário

16 Respostas para "Extremely Loud & Incredibly Close | Jonathan Foer"

Lili - 15 janeiro 2013 às 13:19

Eu vi o filme e gostei, mas não sei se leria o livro. Embora tenha adorado a proposta, chegou um momento que eu fiquei cansada e irritada com o pobre protagonista.

Eu compreendia, mas não concordava, entende?
Bom, parabéns por ter já começado a concluir suas metas.

Responder

Isadora Ferreira - 15 janeiro 2013 às 15:34

Oi Thaís, eu estava louca para ver o filme (ainda não vi), mas agora que sei da existência do livro quero lê-lo antes de assistir sua adaptação para o cinema.
A história parece ser comovente e emocionante, repleta de sentimentos, que faz a gente pensar, refletir… Estou certa?
Adorei sua resenha e, como você, pretendo ler mais livros em inglês esse ano. Quem sabe não começo por esse?
Beijos
Sonho de Biblioteca

Responder

Biia Rodrigues - 16 janeiro 2013 às 01:19

Eu fiquei com muita vontade de ler esse livro, mas ai fiquei na duvida, não tem lançado aqui não é? ;x

Beijos ;*
Pepper Lipstick

Responder

Bruna Guedes - 16 janeiro 2013 às 10:20

Olá!
Ainda não li nenhum livro em inglês pelo simples fato de NÃO SABER INGLÊS :S
Mas você poderia indicar algum livro em inglês com o nível: iniciante. Se existir é claro né!
Adorei seu blog e estou seguindo 😉
beijoss
http://bibliotecaaconchegante.blogspot.com

Responder

Another Words - 16 janeiro 2013 às 13:09

Quando lançou o filme eu fiquei me perguntando se tinha livro 😀 Mas não pesquisei e não encontrei. Pena que só tem em inglês :/ Mesmo que eu saiba ler em inglês, acho mais cansativo do que em português.. mas é uma boa dica para a minha próxima compra internacional!
Beijo, Larissa
Another Words
http://anothersimplewords.blogspot.com.br/

Responder

Ane Reis - 16 janeiro 2013 às 14:51

Oie Thais!

Tanto o livro como o filme parecem ser lindos, mas ando fugindo um pouco de livros com esse apelo meio dramático. Ainda não me recuperei de A Culpa é das Estrelas rs…

Linda resenha querida!

bjus;***
anereis.
mydearlibrary | bookreviews • music • culture
@mydearlibrary

Responder

Romirys Cavalcante - 16 janeiro 2013 às 16:34

Olá Thais, estou passando para retribuir a gentileza que você fez ao seguir meu blog e por isso resolvi visitar o seu e me apaixonei, ele é muito lindo e super completo, você está de parabéns… Já estou seguindo seu blog também, espero que visite mais vezes o meu blog Vivendo entre Símbolos

Um abraço e até a próxima…

Responder

Natalia - 16 janeiro 2013 às 16:47

Oi, Thaís!

Caramba, estou louca para ler esse livro, ainda mais depois da resenha… Fiquei bastante curiosa :O

Adorei tudo por aqui, estou encantadíssima! Uma coisa me chamou a atenção: você encomendou o seu layout, ou foi você mesma quem fez? Queria um assim para o meu blog…

Obrigada por ter passado lá, seja super bem vinda! Já sigo aqui há algum tempo e prometo acompanhar 🙂

Beijos,

Natalia Leal
http://www.paginas-encantadas.blogspot.com

Responder

Ana - Eu Fases - 16 janeiro 2013 às 17:17

Que amável o enredo Thais. Eu gostei.
Este ano também estou tentando dar prioridade a leituras em inglês, mas dificultando um pouco com os clássicos, com toda aquela “pomposidade” na escrita,rs.

Adorei seu blog, beijãão!!

Ana
@eufases
http://www.eufases.com.br

Responder

Paloma Viricio - 16 janeiro 2013 às 17:31

Não conhecia o livro, mas parece ser maravilhoso. A capa é muito chamativa e pelo o que você disse acho que iria curtir ler. Pena que não sei inglês.
Beijos!
Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

Responder

J. S. Freitas - 16 janeiro 2013 às 22:26

Deixei um selinho para você, acesse o link: http://blogdamiaka.blogspot.com.br/2013/01/selo-versatile-blogger.html
Obrigada,

J.S.Freitas
@Miaka_kamura
http://umsofaalareira.blogspot.com.br/
http://blogdamiaka.blogspot.com.br/

Responder

Camila Bezerra - 17 janeiro 2013 às 11:29

Parece, realmente, um ótimo livro. Espero que seja lançado aqui no Brasil, ainda não me arrisco tanto no inglês.
Ótima resenha!

Responder

Amanda Almeida - 17 janeiro 2013 às 13:46

Oi Thaís, tudo bem?
Me encantei pela história. Gostei bastante do enredo, quase me parece uma caça ao tesouro, que no caso em questão é a resposta do enigma. Vou procurar pelo livro, apesar de que infelizmente os livros da peguin não são tão fáceis de achar.
Abraços,
Amanda Almeida

Responder

Fran Borges - 17 janeiro 2013 às 13:55

Olá! Gostei muito da sua resenha e parece mesmo um ótimo livro. Já vi o trailer do filme também e tem tudo para ser uma história de emocionar. Parabéns pela resenha. Não me arrisco a ler em inglês.

Beijos

http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

Responder

Camile Cruz - 17 janeiro 2013 às 15:24

Olá! Gostei bastante da tua resenha, pena que não sei ler em inglês :/ IJSOIS
Beijos

Camile – Perdida entre Livros.
http://www.perdidaentrelivros.com

Responder

Giulia Ladislau - 17 janeiro 2013 às 15:44

Depois dá dica de livros em inglês nível monkey? Tô começando o curso e não quero me frustrar pegando qualquer um, mas queria muito começar a praticar minha leitura.
Beijinhos!
Giulia – Prazer, me chamo Livro

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por