Resenha: O Circo da Noite | Erin Morgenstern - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
maio 04, 2012 Falando de Editora Intrínseca // Resenha

Resenha: O Circo da Noite | Erin Morgenstern


.

Título: O Circo da NoiteAutor: Erin MorgensternEditora: IntrínsecaSkoob: Adicione!Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.

Celia é envida para seu pai Hector, junto com um bilhete de suicídio de sua mãe. Hector, um grande mágico que se apresentava em diversos teatros com seus maravilhosos feitos não usava simplesmente mágica com espelhos e todos os truques que existem. Ele possuia poderes sobrenaturais e passado algum tempo, descobre que sua filha também tem estes poderes. Ao fazer esta descoberta, Hector propõe um desafio à um antigo oponente, Alexander. Para este desafio, ambos teriam que treinar seus respectivos aprendizes e assim eles competiriam entre si. Hector já tinha sua filha como aprendiz, mas Alexander buscou seu pupilo em Londres, por volta do século XIX, dentro de um orfanato. Marco é “adotado” por seu novo instrutor e dali para frente teria um destino completamente desconhecido e já com um desafio traçado. 

Além do desafio, era importante também o local em que ele aconteceria. E em meio ao desenrolar da vida dos personagens, surge o Le Cirque des Rêves de um conjunto de ideias de um grupo escolhido a dedo para frequentar os Jantares da Meia-Noite que eram organizados pelo excêntrico Chandresh Lefèvre

O circo planejado é perfeito. Suas tendas eram listradas com as cores pretas e brancas e passava por vários lugares encantando as pessoas que o adentravam. O circo também tinha muitos encantos como suas atrações de tirar o fôlego, suas tendas, onde cada nova ida ao circo era uma nova descoberta, seu cheiro de caramelo que pairava no ar e suas sidras com especiarias. A autora traz com detalhes o local do desafio e sinceramente, se houvesse um circo tão mágico assim na vida real eu seria uma rêveur

Eu gostaria muito de interpretar as reações, as observações de cada uma e de todas as pessoas que passam pelos portões do Le Cirque des Rêves, para saber o que elas veem e ouvem e sentem. Saber como suas experiências coincidem com as minhas e quanto diferem delas. Tive a sorte de receber cartas com essas informações, de partilhar anotações de rêveurs em diários e pensamentos expostos em pedaços de papel. Acrescentamos as nossas histórias, cada visitante, cada ida, cada noite passada no circo. Imagino que nunca faltarão coisas a dizer ou histórias a serem contadas e partilhadas.
– Friedrick Thiessen, 1895

Além disso, conhecemos diversos personagens, e neste ponto o livro me lembrou muito o livro “A Visita Cruel do Tempo“, onde todos estão ligados de certa forma e seus destinos têm algo e um propósito em comum. Fiquei um pouco encantada pelo Herr Thiessen, principalmente pelo seu modo de agir, sua cordialidade e por tudo o que criou. Mas também amei conhecer as irmãs Burges, o senhor Barris, o Bailey, os gêmeos Poppet e Widget, e muitos outros. 

Em poucas palavras, o livro é realmente encantador. Na minha humilde opinião, a pessoa que lê-lo tem que estar com a mente aberta e disposta a viajar, porque a autora cria uma verdadeira atmosfera de magia que te faz imaginar coisas que nunca aconteceriam “no nosso mundo”. E ao longo da trama, ela vai te dando pistas para que possa ser montado o quebra-cabeças, descobrindo toda a grandiosidade por traz de um simples circo.

Um fato curioso do livro é que a Erin Morgenstern cita muito Shakespeare e existe um ponto da história que me lembra muito “Hamlet“, ao ler vocês descobrirão o motivo! Além disso, Próspero, codinome usado pelo pai de Celia em suas apresentações, é um personagem também criado por Shakespeare. Acredito que seja uma perguntinha pertinente a ser feita para a autora.



Deixe o seu comentário

12 Respostas para "Resenha: O Circo da Noite | Erin Morgenstern"

Fang - 04 maio 2012 às 11:58

Primeiro de tudo ooi UAHSUAHUSAHUS segundo amei a resenha! Eu quero bastante ler esse livro e apesar de ler algumas criticas negativas por ai eu continuei querendo ler, agora só preciso do dinheirinho pra comprar!eu acho que muita gente não esta querendo ler esse livro por que tem um tema bem diferente e tals, mas gosto é gosto né, e eu mal posso esperar pra ler esse livro *-*

Beijos Fran – http://sociedadedasleitoras.blogspot.com.br/

Responder

Rose Ragazzon - 04 maio 2012 às 16:42

Oii agradeço o carinho de seguir meu blog! Já estou te seguindo e curtindo a fanpage! bejuss ♥

http://esmaltandoguaruja.blogspot.com.br

Responder

Gabriela Orlandin - 05 maio 2012 às 00:51

Então, a gente não fica com aquela vontade louca de conhecer O Circo da Noite? Eu queria tanto conhecer aquelas tendas e sentir os cheiros… Tudo tão mágico e lindo! Eu fiquei admirada mesmo com a grandiosidade do circo que, ao primeiro olhar, parecia um circo normal, além de ser meio mágico. Mas é MUITO mais que isso. E sim, precisa estar com a mente aberta.
Linda sua resenha, foi bem fiel ao livro.
Beijos.

Responder

Lendo e Comentando - 05 maio 2012 às 01:04

Ah, quero muito ler esse livro! Logo quando foi lançado eu me interessei por ele. Depois comecei a ver algumas opiniões não muito positivas por aí e fiquei meio receosa. Mas também vi resenhas super positivas — como a sua — então preciso ler pra saber se gostarei ou não. hehe. Espero curtir tanto quanto você. 🙂

Beijos,
Amanda — Lendo & Comentando
^_^

Responder

ALINE T.K.M. - 05 maio 2012 às 05:04

Estou verdadeiramente LOUCA por este livro, sério!!! Além da capa – que é linda -, a história contém todos os ingredientes que normalmente me fazem considerar um livro genial. Todo esse clima surreal que envolve o enredo faz o livro parecer ainda mais atraente, a meu ver. Ainda lerei, com certeza!!!

bj
escrevendoloucamente.blogspot.com

Responder

Celsina - 05 maio 2012 às 15:11

Eii Tha!
Também AMEI demais esse livro! É tão lindo que parece um sonho ;))

Linda resenha, beijos!!!

Responder

Marco Antonio - 05 maio 2012 às 17:11

Boa tarde Thaís,

Confesso que não cnhecia esse livro, e pela sua resenha parece ótimo, boa dica…abçs.

http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

Responder

Glaucia Matos - 06 maio 2012 às 21:40

Esse livro já está na minha próxima lista de compras, com certeza!

Boa semana!

http://www.leitorait.com

Responder

Michelle - 07 maio 2012 às 19:07

Quero ler! Acho que vou adorar essa atmosfera de magia.
bjo

Responder

Ni - 08 maio 2012 às 13:44

Lindo, né? Li uma crítica estes dias que falou que o livro não cumpriu seu papel de narrar o romance entre os pseudo-protagonistas, e nisto concordo. Porém, pelo simples fato da autora conseguir criar um circo inteiro nos mínimos detalhes e levar o leitor a sentir aromas, emoções e gostar de circo (coisa que eu não gosto) já vale a leitura, onde a narrativa é deliciosamente lenta!
Beijos, Ni
http://www.ninhadaliteraria.com

Responder

Letícia Iauch - 08 maio 2012 às 13:46

Ei Thaís!

Além da capa ser linda, eu não vi nenhuma crítica negativa sobre o livro até agora! Deve mesmo ser muito bom.
Não gosto de circos (tenho medo de palhaço u.u kkkkkk) mas com certeza me perderia no Le Cirque des Rêves *o*
Adorei a resenha ;D

Bjoos’
Lets

Responder

Mateus Lopes - 12 maio 2012 às 11:51

to com vontade de ler desde que vi vendendo!!!

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por