Resenha: O Sonho de Eva | Chico Anes - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
julho 16, 2012 Falando de Novo Conceito // Resenha

Resenha: O Sonho de Eva | Chico Anes


.

Título: O Sonho de EvaAutor: Chico AnesEditora: Novo ConceitoSkoob: Adicione!Compare preços: Saraiva | Fnac | TravessaClassificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Dra. Eva Abelar, autoridade mundial em sonhos lúcidos, é informada de que seu filho, Joachim, uma criança autista, desaparece na mesma noite em que sua irmã, Anna, pula do 20º andar de um edifício em São Paulo. Anna era a principal cientista do projeto DreamGame, invento revolucionário que permite à pessoa jogar enquanto dorme. Eva é convidada por Yume a assumir o lugar da irmã e, à procura de respostas, se envolve em uma trama perigosa, que alcança os limites dos desejos inconscientes do homem. Enquanto usa seus conhecimentos para desvendar a morte de Anna e reencontrar Joachim, Eva descobre o quanto a sociedade está vulnerável à tecnologia e aos estímulos subliminares, e como esses estímulos podem sequestrar a liberdade e extinguir o livre-arbítrio.

É engraçado como este livro me intrigou tanto quanto “Anjos e Demônios“, do Dan Brown. Me intrigou porque existem nomes que eu nunca tinha ouvido falar ou nunca havia pesquisado sobre. Um exemplo gigantesco são os “Assuras“, citados no livro de Chico Anes, são bem próximos dos “Iluminatis” do livro de Dan Brown. Além disso, Chico cita a maçonaria como um pressupostos, o que também é muito curioso, por ser uma sociedade secreta, ou secretíssima, onde para os que estão do lado de fora é completamente misteriosa. Existe também “Os Nove Desconhecidos” que foi, ao pesquisar descobri isso e Chico também cita em seu livro, uma sociedade secreta com nove homens e nove livros com todo o conhecimento universal. E eu que sou uma pessoa meio doida, não poderia deixar de pesquisar e ler mais sobre a teoria de conspiração por trás disso tudo.

Partindo do pressuposto que o livro tem relação com o conhecimento universal, conhecemos a Dra. Eva Abelar, uma pesquisadora, psiquiatra e especialista em sonhos lúcidos. Daí você pode perguntar-se: O que são sonhos lúcidos? Os sonhos lúcidos ocorrem quando “você participa de um sonho, age como bem entende e muda as cenas“, ou seja, você tem a capacidade de estar sonhando e sabendo disso, pode modificar tudo. Mas tudo começa a mudar na vida de Eva quando ela recebe a notícia que sua irmã, Anna, que estava no Brasil e Eva em Viena, havia se suicidado. E ao perguntar por seu filho, Joachim, ele também havia desaparecido.

Eva volta para o Brasil, reconhece o corpo da irmã e no velório conhece Adhya, representante da mesma empresa para qual Anna trabalhava no projeto DreamGame, um jogo onde as pessoas poderiam sonhar e jogar dentro dos próprios sonhos, tendo sensações tão reais quanto como se estivessem acordados. Adhya convida Eva a trabalhar na empresa Yume, mas ao convidá-la, torna a vida de Eva um caos ainda maior, praticamente obrigando-a a trabalhar para a Yume. Eva aceita a proposta, mas tem certeza que além do projeto mirabolante, eles podem estar por trás da morte de Anna e do sequestro de seu filho.
– Agora, imagine se durante o período em que estamos sonhando, pudéssemos usar conscientemente o sonho, implantando nele todas as fases de um jogo. Todas as sensações dos jogadores, enquanto estivessem jogando, seriam percebidas exatamente como se eles estivessem vivendo no mundo real!

O autor escreve de uma maneira, que ao meu ver, tornou o livro mais curioso. A cada capítulo ele vai te mostrando peças para que você mesmo possa ir unindo e descobrindo toda a verdade juntamente com Eva. E o mais legal da narrativa é que não temos apenas a visão de Eva, mas também do próprio autor, de Alec, ex-namorado e atual grande amigo de Eva, e, a visão mais curiosa de todas, de Joachim, por ser um menino autista. Outra característica que foi um grande destaque para mim, foi que o primeiro sonho lúcido que Eva teve após os sequestro e morte de seu filho aconteceu no Éden, com a mesma serpente e o mesmo fruto, mas todos com um significado direto para a história e principalmente para Eva.

O livro foi um prato cheio para mim, principalmente por ter grande relação com teorias da conspiração ligadas às mídias, por tratar os sonhos não apenas como metas, mas como meios de conquistar o mundo e sequestrar a vontade do outro.



Deixe o seu comentário

2 Respostas para "Resenha: O Sonho de Eva | Chico Anes"

Cynthia. - 18 julho 2012 às 09:33

Eu estou tentando pensar aqui o que achar dessa história. A princípio, pensei que poderia ser, sim, uma história de clichês de histórias futuristas, com desaparecimento de pessoas, jogos realistas e que vão além da utopia, e teorias da conspiração (ah, uma boa história assim não existe sem uma conspiração). Mas, mesmo assim, acho que são temas interessantes de se trabalhar. Se a história for toda bem estruturada e chamar mesmo a atenção (sem furos e espaços acidentais), tem tudo para ser uma obra excelente.

Juro que, sem ler a resenha, eu veria esse livro numa estante e o selo “Novo Conceito Jovem” já me afastaria. Acho que tenho um pouco de preconceito com livros voltados para adolescentes, não sei se é porque ultimamente a qualidade tem ficado cada vez mais baixa ou se é porque eu também não procuro descobrir mais. Talvez eu devesse deixar esses pré-conceitos e começar a conferir mais livros assim. Achei toda a ideia desse livro genial 🙂

Excelente resenha! Me deixou, de fato, curiosa, quem sabe eu não acabe comprando esse livro pra ler também? hehe

Abraços!
http://ninanoespelho.blogspot.com

Responder

Luara Cardoso - 18 julho 2012 às 14:32

Estou muito curiosa a respeito desse livro. E vou te dizer a verdade: essa resenha quebrou toda e qualquer expectativa que eu tinha a respeito desse livro.
Eu esperava um enredo totalmente diferente, sem esse mistério, sabe? E carregado de ficção científica.
Curti bastante, agora estou super empolgada!

Um beijo,
Luara – Estante Vertical

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por