Um Motim No Tempo - Infinity Ring | James Dashner - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
março 23, 2013 Falando de Resenhas

Um Motim No Tempo – Infinity Ring | James Dashner


Título: Infinity Ring – Um Motim No Tempo | Livro 1
Autor: James Dashner
Editora: Seguinte
Skoob: Adicione!
Compre o livro: CULTURA | BOOK DEPOSITORY
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Quando os melhores amigos Dak Smyth e Sera Froste descobrem o segredo da viagem no tempo – um dispositivo portátil conhecido como Anel do Infinito -, eles acabam envolvidos numa guerra secreta que existe há muitos séculos e decidirá o futuro da humanidade. Recrutados pelos Guardiões da História, uma sociedade secreta que existe desde Aristóteles, as crianças descobrem que a história havia saído desastrosamente de seu curso natural. Agora, Dak, Sera e Riq, o jovem guardião em treinamento, devem voltar no tempo para corrigir as Grandes Fraturas – e, no caminho, ainda salvar os pais de Dak. A primeira parada é na Espanha de 1492, quando um navegador chamado Cristóvão Colombo está prestes a ser lançado ao mar, durante um motim terrível.

A série de Infinity Ring é bem curiosa. Ela é composta por sete livros, mas essa não é a parte curiosa! O curioso é que ela é escrita por autores diferentes, apenas o primeiro e o último são escritos pelo mesmo autor, James Dashner. Além disso, é uma série multimídia onde cada livro terá um jogo e outros conteúdos online relacionados. O jogo do primeiro livro você encontra aqui. É muito interessante e vai aguçar ainda mais a vontade de conhecer a série.

No primeiro livro, Um Motim no Tempo, entramos numa grande aventura cheia de charadas e surpresas com Sera e Dak. Ambos são gênios, mas cada uma à sua maneira. Enquanto Sera é um prodígio na física quântica, Dak é um entusiasta de História. O momento em que estão vivendo na história é bem tenso e estão certos que o mundo pode chegar à um terrível Cataclismo por estarem presenciando um processo intenso de destruição com desastres naturais, falta de comida e apagões.

De um lado existe a esperança do mundo não ser destruído e do outro a SQ, uma organização que domina tudo que existe no mundo e se aproveita de determinados acontecimentos históricos para se tornar ainda mais poderosa. O que a SQ e muito menos Dak poderia contar era que os pais dele estavam trabalhando num dispositivo para viajar no tempo, o Anel do Infinito. Na primeira viagem feita, os pais de Dak desaparecem e assim que ele e Sera voltam, são abordados pelos Guardiões da História. Os Guardiões da História é um grupo que tem como norte o pensamento de Aristóteles que acreditava que a viagem no tempo um dia seria possível e é exatamente desta forma que podem corrigir as Grandes Fraturas no tempo, ou seja, corrigindo coisas ao longo da história que não deveriam ter acontecido. Com a viagem no tempo, as Reminiscências, uma vaga lembrança de algo que deveria ter acontecido, parecido com um déjà vu, que poderiam até levar uma pessoa à loucura, desapareceriam. Agora além de tentar salvar o mundo, Dak e Sera terão que tentar achar os pais que desapareceram no tempo.

O ar quente e seco a deixava quase sem fôlego. Enquanto percorria o caminho, ela pensava no terremoto no museu, e no pessoal da SQ dizendo que aquilo não era nada, e em todas as outras coisas que pareciam estar erradas no mundo. E também pensava em Dak, seu eterno melhor amigo para sempre (ela sabia que era uma redundância, mas gostava de dizer isso mesmo assim), e que algo dentro dela gritava que a amizade dos dois não era apenas fruto do acaso. Alguma coisa importante parecia aguardar por eles no horizonte de suas vidas.

Confesso que quando estava no ensino médio nunca fui fã de História, mas quando encontro autores que conseguem misturar ficção e realidade, me pergunto o motivo de nunca ter gostado da matéria. É simples: tudo depende da forma que passam. Em Infinity Ring encontramos um livro que tem muitas possibilidades de ser trabalhado em sala de aula por abordar diversos elementos da história como Aristóteles, Colombo, a Revolução Francesa, Alexandre, o Grande, e diversos outros assuntos.

Apesar de ser o primeiro livro de sete, o autor consegue fisgar o leitor de uma forma bem curiosa e criativa. Não é simplesmente uma corrida para mudar a história, é algo que vai além da concepção do próprio homem. Assim como na vida, que encontramos pessoas dispostas a não cooperar e a tirar apenas proveito de determinados acontecimentos, Dak e Sera encontram pessoas assim, mas não desistem de forma alguma da missão que lhes foi dada. E esse, para mim, é um outro ensinamento que Um Motim no Tempo consegue oferecer aos leitores.

Os personagens são extremamente adoráveis. Dak e Sera são, apesar de não ter o mínimo tato para o convívio social, engraçados, cheios de emoção, sentimentos e extremamente divertidos. Riq, Brint e Mari também têm suas peculiaridades e conseguem, de certa forma, conquistar o leitor.

Com um ritmo delicioso, o primeiro livro da série Infinity Ring é feito para todos os gostos e idades. Entrem de cabeça nessa aventura no dia 4 de abril! Você já encontra Um Motim No Tempo em pré-venda na Livraria Cultura.



Deixe o seu comentário

7 Respostas para "Um Motim No Tempo – Infinity Ring | James Dashner"

Carolina - 24 março 2013 às 12:41

Amei a idéia do livro, muito criativa.
James Dashner é o autor da série Maze Runner, né? Apesar de ter o livro, nunca o li, só li resenhas positivas sobre eles pela blogosfera.
Adorei sua resenha. Eu já gosto bastante de História, então fiquei ainda mais curiosa pra ler esse livro.

Beijão
Sun Rises Here

Responder

Carla A. - 24 março 2013 às 15:21

Gostei da proposta do livro de misturar História e ficção! Pena que a série é longa… Será que dou conta? 😛

Beijos, Entre Aspas

Responder

Maria Eduarda {@dudsparrow} - 24 março 2013 às 19:37

Que demais. Adorei a sinopse e o lance dos autores diferentes. Fiquei querendo conhecer a serie.

http://www.redbehavior.com

Responder

Lygia Netto - 24 março 2013 às 23:38

Estou DOIDA para ler essa série. Fiquei muito triste qnd perdi a prova do livro 🙁 (povo é mega rápidos nos e-mails para a Diana hein? rsrs).

Essa série parece que tem o mesmo estilo de 39 clues, com o plus de tratar de viagens no tempo, algo que eu adoro! 😀

Beijo grande e boa semana!
Lygia – Brincando com Livros

Responder

Erika Tammy - 25 março 2013 às 19:45

com certeza quero lê este livro, fiquei muito interessada por ele ao ler sua resenha e tenho certeza que vou ama-lo. achei a capa muito linda ^^

Responder

Lele - 26 março 2013 às 16:59

Eu não sei da série toda, mas o primeiro eu necessito. Esse autor é muito perfeito!! ♥

Enfim, adorei a resenha. Com certeza o primeiro eu lerei!!

Bjkas

Alessandra Tapias
http://topensandoemler.blogspot.com.br/

Responder

Maura C. Parvatis - 27 março 2013 às 01:40

Oi, Thaís, vou indicar esse livro para alguns professores de História que conheço, uma forma bem bacana de trazer o aluno para um assunto que ”eles” acham monótono porque a maneira, geralmente, em que é passado ”a matéria” é assim, infelizmente :\ Lembro que a minha professora de História da quinta série até a sétima, trabalhava muito em lousa, mas era uma aula tão gostosa porque ela nos contava os fatos, sem ficar pregada ao livro didático que era tão resumido, ela parecia – como dizíamos – ter vivido o que nos narrava…
Enfim, voltando ao livro!
Essa série já me ganhou, li ainda o primeiro volume, mas isso é um mero detalhe… Ou não, haha! Quando soube que ela seria lançada aqui durante o lançamento do selo Seguinte (Ah, eu adoro esse selo!), fiquei encantada com a premissa, vou querer ler todos! E acredito que irei adorar =D

Beigos,
Maura – Blog da /mauraparvatis.

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por