Um Conto de Natal por Charles Dickens - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
dezembro 27, 2013 Falando de Resenhas

Um Conto de Natal por Charles Dickens


Um Conto de Natal

Título: Um Conto de Natal
Autor: Charles Dickens
Editora: L&PM Pocket
Skoob: Adicione!
Compre o livro: SUBMARINO | SARAIVA | CULTURA
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

“Um Conto de Natal” do britânico Charles Dickens (1812-1870) é uma das histórias mais famosas da literatura ocidental. O enredo nos traz a figura de Ebenezer Scrooge, um avarento homem de negócios londrino, rabugento e solitário, que não demonstra um pingo de bons sentimentos e compaixão para com os outros. Scrooge não deixa que ninguém se aproxime e rompa a sua dura carapaça, preocupando-se apenas com os negócios, o dinheiro e os lucros.

Eu nunca havia lido nada de Dickens, na-da. Mas depois de Um Conto de Natal quero ler tu-do. Na verdade eu tenho David Copperfield há algum tempo, mas não havia parado para lê-lo. Dickens é um grandioso gênio que em meio à sua história com um velho rabugento, consegue mostrar o quão boa é a magia do Natal.

O livro Um Conto de Natal conta a história do pão-duro, avarento, mesquinho e ganacioso Ebenezer Scrooge. Mas… antes de mais nada, como o próprio narrador da história diz, é preciso dizer que Marley, o sócio de Scrooge, estava morto. Naquela véspera de Natal completava sete anos que ele havia morrido. E é nesta véspera de Natal que o espírito dele aparece cheio de correntes e visita as pessoas que não havia visitado em vida, pessoas das quais poderia ter participado ativamente da vida e transformado pequenos momentos em grandes alegrias. O fantasma de Marley anuncia que Scrooge ainda tinha chances de escapar do terrível destino que o comportamento que tinha o faria passar e seria visitado por três espíritos. E é assim que acontece.

– Que motivos você tem para estar feliz sendo pobre desse jeito?
– Se for por isso, que motivos tem o senhor para estar tão mal-humorado, que razões para estar tão ranzinza, sendo rico desse jeito?

O primeiro visitante é o Fantasma dos Natais Passados e mostra como Scrooge era no passado, tratando as pessoas de uma forma mais acalorada e se sentindo feliz quando desejavam um simples Feliz Natal quando passavam pelo Scrooge jovem. Vira o quão simples mas significativos poderiam ser alguns gestos que ele poderia ter tomado como patrão, mas não o fazia. Seu coração começou a amolecer e a mudar, Scrooge estava mudando a forma de ver a vida, a própria vida e a dos outros. O segundo fantasma que o visitara foi o Fantasma do Natal Presente. E o último, que estava enrolado em uma roupa longa e preta que tapava a cabeça, o rosto e o corpo, aparecia apenas uma mão estendida e nenhuma palavra era pronunciada, era o Fantasma do Natal Futuro.

Esse título de Dickens possui apenas 146 páginas e é um presente maravilhoso para os leitores, principalmente nesta época do ano e no momento que estamos vivendo. Hoje encontramos pessoas preocupadas apenas com lucros, riquezas, mas acabam se esquecendo que podem fazer algo para mudar a vida de pessoas mais pobres, com um poder aquisitivo menor. Scrooge é o retrato desse tipo de pessoa, preocupado em apenas ter lucros, vivendo apenas com e para seu dinheiro. Mas e quando ele morrer? E quando precisar de alguém para ajudá-lo? Vale a pena levar uma vida assim?

– Os caminhos humanos fazem prever seus próprios destinos. E todos aqueles que continuam nesses caminhos, acabam por alcançá-los – disse Scrooge. – Mas se decidirem mudar de caminho, esse destino também mudará.

Os personagens criados por Dickens mostram as diferentes faces do homem, alguns invejosos, outros com o coração bom, que apesar do mal-humor e da maldade de Scrooge sentem pena dele; outros que querem ficar ricos, mas poderiam passar a perna e roubar qualquer pessoa para que isto aconteça, enfim, uma infinidade de personalidades. Uma outra coisa que me deixou encantada era que cada fantasma que aparecia representava um aspecto da vida: o passado, o presente e o futuro. Ou seja, eles vieram para mostrar como ele era, no que se tornou e como será seu destino se continuar levando a vida daquela maneira. Acredito que este seja um dos maiores poderes do Natal e do Ano Novo, nos fazer refletir sobre tudo.

Ah! E quer saber de uma curiosidade super legal? O Tio Patinhas foi inspirado no personagem de Dickens. Incrível, não é? Além disso, esta história tem inúmeras adaptações, é quase impossível precisar quais e quando foram produzidas, mas acredito que isso tenha ocorrido por ter um material visual e sonoro incrível que encontramos.

Leia Um Conto de Natal e encante-se com a história e pelo rabugento Scrooge.

Ouça Neil Gaiman lendo Um Conto de Natal!



Deixe o seu comentário

3 Respostas para "Um Conto de Natal por Charles Dickens"

Raquel Moritz - 27 dezembro 2013 às 14:13

Aaaaaah, que fofo!!!! Foi esse o conto que o Gaiman leu vestido de Charles Dickens (ele ficou tão parecido, muito massa!). Aliás, nem sabia que o Tio Patinhas era inspirado nele (aquelas: achei que era no Smaug, haueheauheahuae).

Beijo!

Responder

Kel Costa - 28 dezembro 2013 às 00:08

Também nunca li nada do Dickens (shame), mas gostei dessa indicação! Quem sabe em 2014 eu não consiga mudar isso, né? Tenho vontade de fazer uma listinha só de clássicos que eu já devia ter tomado vergonha na cara e lido rs

Bjs,
Kel
http://www.itcultura.com.br

Responder

Oliveira - 28 dezembro 2013 às 08:41

Não sabia tantas particularidades sobre esse livro como você apontou. Já havia visto livros do autor mas nunca me interessado, vou dar uma maior atenção de hoje em diante.

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por