Vida Após a Morte | Damien Echols - Pronome Interrogativo • Blog e Canal •
maio 20, 2013 Falando de Resenhas

Vida Após a Morte | Damien Echols


Resenha Vida Após a Morte

Título: Vida Após a Morte
Autor: Damien Echols
Editora: Intrínseca
Skoob: Adicione!
Compre o livro: SARAIVA | SUBMARINO | CULTURA
Classificação: EstrelasEstrelasEstrelasEstrelasEstrelas

Aos dezoito anos, Damien Echols foi apontado como líder de um grupo satanista e principal responsável pelo assassinato de três garotos de oito anos em West Memphis, no Arkansas. Após um julgamento marcado por falsos testemunhos, provas manipuladas e histeria pública, em 1994 seus amigos Jason Baldwin e Jessie Misskelley foram condenados à prisão perpétua, e Damien foi enviado ao corredor da morte, onde aguardaria sua execução. As irregularidades gritantes no desenrolar do processo, bem como a apatia dos advogados de defesa, chegaram ao conhecimento do público dois anos depois, quando a história conquistou repercussão mundial através de um documentário. Nos anos seguintes, foram produzidos outros três documentários sobre o caso e a causa foi abraçada por celebridades de Hollywood, que se empenharam vigorosamente para que a justiça fosse feita, o que culminou com a libertação do trio de West Memphis em 2011.

Em 1993, Damien Echols, junto com outros dois homens que fizeram parte de sua juventude, foi preso por assassinatos considerados “satânicos” de três meninos de oito anos no Arkansas. “Os três de West Memphis”, como eram chamados os rapazes, foram soltos em 2011 pelo “acordo de Alford”, que apesar de ser bem injusto, em que eles alegam a inocência mas aceitam a culpa pelo crime pelos dezoito anos de cadeia, trouxe finalmente a liberdade. Em Vida Após a Morte, Echols conta a sua própria versão da história.

Foi uma experiência aterrorizante ler o relato de Echols. Tudo o que ele estava passando não era apenas o destino ou qualquer coisa que ele tenha feito, era um verdadeiro pesadelo sem hora para acordar. E unindo sua experiência agoniante, sua tentativa de manter-se são e os relatos de sua juventude à forma sutil e cheia de detalhes que escreve, apesar da pouca instrução, Vida Após a Morte não mostra detalhes de quem possa ter realmente cometido assassinado, mas mostra como Echols enfrentou tudo isso ao ser acusado por algo que não fez. A verdadeira experiência de quem passou pelo inferno e conseguiu voltar.

De vez em quando, sentado aqui no confinamento solitário, preciso me tornar outra coisa. Preciso me transformar e obter uma nova perspectiva da realidade. Quando faço isso, tudo deve mudar: emoções, reações, corpo, consciência e padrões de energia. Voltei-me para o zen por desespero. Eu estivera no inferno, fora traumatizado e enviado para o Corredor da Morte por um crime que não cometi.

As datas e períodos não são definidas, mas com as lembranças e relatos da vida que tinha fora da prisão, temos uma consciência palpável sobre o que o autor passou e sentiu. Em certo momento chega a aventurar-se no reino do zen para entender a si mesmo e não permitir que as coisas negativas venham à tona. O autor acaba intercalando sua história entre o presente, o passado e coisas que lembra-se ao se deparar com determinado objeto ou momento. Por exemplo, através das lembranças de sua infância percebemos as dificuldades que passava, a pobreza que enfrentava e os conflitos familiares, muitas vezes movidos por essa mesma pobreza que os assolavam. E desde muito cedo sofreu com acusações e culpas que não sabia de onde surgiam. Assim, tinha uma mãe displicente em vários aspectos e um pai ausente, tornando-se obrigado a conviver com um homem que o tratava mal e nem seu pai era.

Damien Echols criou seu livro como se fosse uma conversa franca entre dois amigos e o simples fato de ter sobrevivido ao Corredor da Morte já o torna especial. Muitas vezes sentiu-se isolado, outras vezes estava rodeado, literalmente, por loucos, mas em todas as situações por que passou se fortaleceu e endureceu para passar por tudo isso. É essa força e determinação que o autor nos passa que colorem o livro.

Sem dúvidas, ser julgado por um crime que não cometi me estragou um pouco. Apesar disso, sobrevivi mais ou menos intacto. Não em entenda mal – meu coração, alma, corpo e mente têm cicatrizes que nunca vão se fechar adequadamente. Ainda assim, sobrevivi.

Vida Após a Morte é brutal, cru e comovente. Não é apenas o relato de um inocente, é uma história sobre superação e amadurecimento.



Deixe o seu comentário

5 Respostas para "Vida Após a Morte | Damien Echols"

Mariane - 21 maio 2013 às 08:51

Oi Thaís,
Fiquei interessadíssima nesse livro!!!!!!
Parece ser muito interessante!
Bjos

Responder

Mirelle - 22 maio 2013 às 06:06

Estou louquinha para ler esse livro. Além de adorar histórias reais, eu curto muito esses temas relacionados a prisão e Direito Penal, minha monografia foi inclusive sobre isso. Vamos ver depois se o filme vai ser bom ou não. Esse livro com certeza está entre as minhas próximas leituras. Beijos, Mi

http://www.recantodami.com

Responder

Cibele Brito - 22 maio 2013 às 16:02

Sou fascinada por essa história e já estava doida pra ler esse livro. Depois dessa resenha, estou desesperada para colocar as mãos nele! hahahah
Adorei seu blog!
Bjs
;***

Responder

Cristine Tellier - 26 maio 2013 às 21:08

oi Thais,
Assistiu ao documentário que levantou a possibilidade de inocência dos rapazes?
http://www.intrinseca.com.br/site/2013/05/paradise-lost/

Estou com o livro aqui para ler, mas vou assistir “Paradise Lost” antes de mais nada 😉

Responder

Thaís Cavalcante - 26 maio 2013 às 21:22

@Cristine Tellier Ainda não assisti, Cris. Mas estou muito curiosa, porque só pela narrativa do Echols e pelas lembranças e momentos que ele passou já é bem bizarro. Quero saber como eles vão abordar algumas coisas no documentário! Valeu pela dica! 😀

Responder

Instagram

Pronome Interrogativo • Blog e Canal • • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por